Em época de Copa, grande parte da população acompanha as melhores seleções de futebol do mundo, com jogadores de alto nível em busca do título mundial. 

E quando o assunto é o rendimento de um atleta, é preciso considerar que diversos fatores estão envolvidos neste contexto, como treinamento, dieta nutricional, controle emocional e, até mesmo, questões relacionadas à saúde sistêmica, como a saúde bucal. 

Diante disso, uma emergente especialidade odontológica se destaca: a Odontologia do Esporte, responsável pelo acompanhamento odontológico de atletas, sejam eles profissionais ou amadores. 

A seguir, confira mais informações sobre a especialidade, as responsabilidades de um cirurgião-dentista da área e como se tornar um profissional especialista! 

Odontologia do Esporte como especialidade odontológica  

Odontologia do Esporte foi reconhecida como especialidade odontológica pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) em 2015. 

O reconhecimento da especialidade foi feito por meio da resolução CFO 160/2015, juntamente com as especialidades de Homeopatia e Acupuntura.  
 
De acordo com o artigo 4º: “Odontologia do Esporte é a área de atuação do cirurgião-dentista que inclui segmentos teóricos e práticos da Odontologia, com o objetivo de investigar, prevenir, tratar, reabilitar e compreender a influência das doenças da cavidade bucal no desempenho dos atletas profissionais e amadores, com a finalidade de melhorar o rendimento esportivo e prevenir lesões, considerando as particularidades fisiológicas dos atletas, a modalidade que praticam e as regras do esporte.“ 

A título de curiosidade, embora a especialidade tenha sido reconhecida há poucos anos, no Brasil já havia dentistas atuando nesta área desde a década de 50. 

Dr. Mario Trigo (1911-2008), por exemplo, foi um grande nome da Odontologia do Esporte, conhecido por seu trabalho como cirurgião-dentista da seleção brasileira de futebol

O profissional não só integrou as comissões técnicas das Copas de 58, 62, 66 e 70, como também presenciou a conquista do Brasil de três títulos mundiais. 

Principais competências da Odontologia do Esporte  

Como vimos anteriormente, Odontologia do Esporte é a área responsável pelo acompanhamento, tratamento, reabilitação e proteção de atletas profissionais e amadores, com foco na adequação da saúde bucal e, consequentemente, alto desempenho físico. 

Ao passo que o dentista, além de compreender as necessidades específicas de cada atleta, deverá investigar alterações bucais prejudiciais ao seu rendimento físico e eventuais lesões decorrentes da própria prática desportiva. 

O cirurgião-dentista especialista costuma compor uma equipe esportiva multidisciplinar, atuando em conjunto com outros profissionais da saúde como nutricionistas, educadores físicos, fisioterapeutas, psicólogos, etc. 

Ou seja, é preciso tratar a saúde do paciente de forma integral, em busca de uma elevada performance. 

Outras peculiaridades desta profissão estão relacionadas ao entendimento de regras e normas da modalidade esportiva a qual o atleta pratica e ao conhecimento e acompanhamento de determinações da Agência Mundial Antidoping (WADA) em relação a substâncias proibidas. 

As principais competências de um especialista nesta área são: 

  • Prevenção, controle e tratamento de doenças e infecções bucais; 
  • Identificação e tratamento de disfunções temporomandibulares; 
  • Acompanhamento do atleta em competições e pronto atendimento em caso de acidentes orofaciais; 
  • Administração e prescrição de substâncias e medicamentos autorizados pela WADA, seguindo rigorosamente as políticas antidoping
  • Orientação e controle sobre ingestão de alimentos suplementares, isotônicos e repositores energéticos; 
  • Indicação e confecção de equipamentos de proteção próprios para sua modalidade esportiva.  
  • Tratamento de problemas relacionados à respiração bucal, prática extremamente prejudicial ao rendimento de um atleta; 
  • Orientações e educação em saúde bucal como forma de prevenção de doenças e lesões bucais. 

Problemas bucais e o desempenho do atleta  

Estudos realizados na área apontam que distúrbios bucais podem afetar em até 21% o rendimento de um atleta, reforçando a importância do acompanhamento odontológico de um especialista em Odontologia do Esporte. 

A seguir confira as principais complicações bucais observadas em atletas profissionais. 

Cáries e lesões erosivas 

A identificação e eliminação de focos infeciosos é uma das prioridades do cirurgião-dentista ao atender pacientes atletas. 

Cárie dentária e lesões erosivas, por exemplo, estão entre as alterações bucais mais comuns que acometem esta população. 

Isso ocorre, principalmente, devido ao elevado consumo de bebidas isotônicas e repositores energéticos, que possuem PH ácido capaz de alterar a capacidade de remineralização do esmalte dental. 

Doenças periodontais 

Outras infecções bucais que também merecem atenção no acompanhamento odontológico de um atleta são as doenças periodontais, como gengivite e periodontite. 

Se não erradicadas, as bactérias podem contaminar a corrente sanguínea e desencadear complicações sistêmicas, como doenças musculares e cardíacas, comprometendo a saúde geral do atleta. 

Má oclusão 

A má oclusão – alinhamento anormal da arcada superior e inferior – também é um distúrbio altamente prejudicial ao rendimento de um atleta. 

Umas das principais consequências de uma má oclusão é a dificuldade mastigatória, que pode prejudicar a absorção de nutrientes. Também são comuns desgastes e perdas de elementos dentários, dores faciais, problemas nas articulações e cáries recorrentes. 

Respiração bucal 

Cansaço, dores musculares e insuficiência respiratória são alguns dos problemas que podem ser observados em pacientes respiradores bucais. E para um atleta profissional este distúrbio traz diversas complicações. 

Sabe-se que a prática da respiração bucal pode causar um déficit de oxigênio e provocar até mesmo alterações no metabolismo do atleta, ocasionando problemas posturais, de visão e dificuldades em se recuperar de lesões. 

Traumas na região facial e o uso de protetores bucais 

Os traumas na região facial são alguns dos problemas mais comuns em atletas, e dependendo do esporte praticado as chances de lesões aumentam consideravelmente. 

Para evitá-las, o uso de protetores bucais como equipamentos de proteção é altamente indicado, pois protegem não só os dentes e tecidos moles do atleta como também cabeça e pescoço. 

Estes dispositivos, antes comumente utilizados por atletas em esportes de combate, hoje tem se popularizado nas demais modalidades esportivas que envolvem colisões, como futebol, surfe e basquete. 

Seu uso durante a prática desportiva, de acordo com pesquisas, reduz em até 80% o risco de um trauma dental. Já dados da Associação Americana de Odontologia (ADA) apontam que, com o uso do acessório, mais de 200 mil lesões são evitadas anualmente. 

Para uma proteção realmente eficaz, é fundamental que o protetor bucal seja individualizado, confeccionado pelo cirurgião-dentista ou laboratório a partir de modelo em gesso do arco dental do atleta. 

Além disso, é importante que o acessório não atrapalhe a respiração, fala e ingestão de líquidos durante treinos e campeonatos. 

Onde atuar como profissional da Odontologia do Esporte  

No Brasil, a área esportiva ganha cada vez mais destaque, sendo um mercado muito promissor para profissionais que buscam novos rumos na Odontologia. 

O dentista especialista em Odontologia do Esporte pode atuar em diferentes esferas. 

Como em Clubes, Federações e Confederações esportivas, em uma equipe de profissionais responsável pela saúde dos atletas e acompanhamento em treinamentos e competições.  

Também pode atender atletas profissionais e recreativos em consultórios particulares ou consultório próprio e, até mesmo, atuar em instituições públicas e filantrópicas de incentivo ao esporte. 

Além disso, sendo mestre ou doutor na área, é possível ministrar aulas em universidades, escolas de pós-graduação e cursos de extensão em Odontologia do Esporte. 

Como se especializar em Odontologia do Esporte 

Hoje, é possível encontrar diversas opções de cursos de aprimoramento e pós-graduações em Odontologia do Esporte, tanto presenciais como à distância. 

A pós-graduação na área, que costuma ter duração de 12 a 20 meses, aborda todas as particularidades do atendimento odontológico de um atleta. 

Bioética, Legislação Odontológica, Protetores Bucais, Farmacologia e Doping, Emergências Odontológicas e Protocolos de atendimento ao atleta em diferentes modalidades esportivas são algumas das disciplinas que costumam compor a grande curricular. 

Algumas instituições de ensino que oferecem o curso de Pós – graduação em Odontologia do Esporte são: UNESC, Unyleya e Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic. 

Saiba mais sobre como se especializar nesta área: assista ao vídeo da Dra. Neide Coto, Especialista em Odontologia do Esporte. 

Me formei, e agora? | Odontologia do Esporte 

Por fim, pudemos perceber que a Odontologia do Esporte é uma importante especialidade odontológica para atendimento de atletas profissionais e amadores. 

O dentista especialista neste setor deverá trabalhar junto à equipe multidisciplinar, a fim de proporcionar melhores condições para a prática desportiva e rendimento físico dos atletas. 

É ainda uma especialidade que vem crescendo desde seu reconhecimento pelo CFO em 2015, sendo uma excelente alternativa para universitários de Odontologia e dentistas que buscam novos desafios na área odontológica. 

Quer saber mais sobre especialidades odontológicas? Leia aqui no blog: 

Gostou do conteúdo? Avalie e compartilhe!  

Referências

QUAL a importância da odontologia do esporte para os atletas?. Sanar, [S. l.], p. 1-1, 8 jan. 2021. Disponível em: https://www.sanarsaude.com/portal/carreiras/artigos-noticias/colunista-odontologia-qual-a-importancia-da-odontologia-do-esporte-para-os-atletas. Acesso em: 25 nov. 2022. 

“ODONTOLOGIA do Esporte” agora é especialidade!. CFO, [S. l.], p. 1-1, 18 nov. 2015. Disponível em: https://website.cfo.org.br/%E2%80%9Codontologia-do-esporte%E2%80%9D-agora-e-especialidade/. Acesso em: 25 nov. 2022. 

ODONTOLOGIA do Esporte como especialidade. FOUSP, [S. l.], p. 1-1, 13 ago. 2020. Disponível em: http://www.fo.usp.br/?p=27220. Acesso em: 23 nov. 2022. 

Pastore GU, Moreira M, Bastos R, Galotti M, Leonardi MFP. ODONTOLOGIA DO ESPORTE – UMA PROPOSTA INOVADORA. Rev Bras Med Esporte. 2017;23(2):147-151 

SAÚDE bucal e a performance nos esportes. Bianco Oral Care, [S. l.], p. 1-1, 17 dez. 2020. Disponível em: https://biancooralcare.com.br/blog/esportes/saude-bucal-e-a-performance-nos-esportes/. Acesso em: 22 nov. 2022. 

Lima, A. C. A., Cardoso, E. L. de O., Ferreira Junior, P. R. L., Bento, G., & Haddad, M. F. (2020). Odontologia do esporte: revisão de literatura. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 8(12). https://doi.org/10.21270/archi.v8i12.4646 

ODONTOLOGIA Do Esporte: Qual A Importância E Vantagens Dessa Especialidade. CFO, [S. l.], p. 1-1, 13 ago. 2020. Disponível em: https://empreendedordentista.com.br/odontologia-esporte/#:~:text=O%20dentista%20do%20esporte%20pode,quais%20esta%20popula%C3%A7%C3%A3o%20est%C3%A1%20sujeita. Acesso em: 23 nov. 2022. 

Redatora em Blog Dental Speed
Formada em Administração pela Estácio, especialista em Marketing e redação técnica na área odontológica.
Gabrielli Nery Wandscheer

Artigos relacionados

Education Template