Página Inicial Especialidades Ortodontia Saiba tudo sobre a relação entre ortodontia e oclusão dentária
Ortodontia

Saiba tudo sobre a relação entre ortodontia e oclusão dentária

A oclusão dental é a relação funcional estabelecida entre os dentes superiores e inferiores e as estruturas do sistema estomatognático.

Além dos dentes, são consideradas estruturas do sistema mastigatório: o periodonto, a articulação temporomandibular, o esqueleto craniofacial e o sistema neuromuscular.

O conhecimento sobre oclusão é essencial para a prática de uma Odontologia de qualidade.

E, por envolver diversas especialidades odontológicas, neste post vamos enfatizar sua importância no tratamento ortodôntico.

Ao longo do artigo você irá conferir quais são os tipos de má oclusão, suas causas, consequências e indicações de tratamento ortodôntico.

O que é oclusão dentária?

A oclusão dentária estuda a relação dinâmica, morfológica e funcional de todos os componentes do órgão mastigatório, sendo de extrema importância para tratamentos restauradores diretos, indiretos, reabilitações orais (incluindo próteses e implantes) e ortodônticos.

Os dentes anteriores têm funções estéticas é fonéticas, além de cortar os alimentos e proteger a ATM nos movimentos excêntricos da mandíbula.

Já os dentes posteriores têm como função a trituração dos alimentos, ser o ponto de apoio da mandíbula durante a mastigação e deglutição, realizar a manutenção da dimensão vertical de oclusão (DVO), além da transmissão e dissipação das forças axiais e proteção da ATM.

Na oclusão fisiológica, os componentes do sistema mastigatório funcionam eficientemente e sem dor.

Por outro lado, quando há má-oclusão e desajustes oclusais, podem ocorrer uma série de problemas, como desgaste de esmalte e dentina, trauma dental, doenças periodontais, bruxismo, disfunções na ATM e problemas nos músculos da mastigação.

Dentre os problemas, podemos citar:

  • tensão muscular;
  • fadiga;
  • hiperatividade dos músculos;
  • espasmos;
  • dores de cabeça e pescoço.
Ofertas de produtos de Ortodontia dental speed

Antes de conversar sobre as causas da má-oclusão e suas classificações na ortodontia, vamos explicar sobre as características da oclusão ideal e como deve ser a relação e posicionamento dos dentes anteriores e posteriores.

A oclusão definitiva é resultado da genética, hábitos, estímulos, e das relações entre os diferentes elementos do sistema mastigatório.

A oclusão dentária ideal apresenta as seguintes características:

  • oclusão cêntrica com DVO e DVR adequadas;
  • direção axial;
  • distribuição proporcional correta;
  • relações perfeitas nos movimentos mastigatórios;
  • ATM sem disfunção;
  • ausência de dor muscular e articular;
  • periodonto saudável: ausência de sangramento, mobilidade e osso alveolar sem reabsorção.

Características dos dentes anteriores e posteriores na oclusão ideal

Para compreendermos melhor sobre a importância do tratamento ortodôntico na oclusão, vamos descrever as principais características do posicionamento dos dentes anteriores e posteriores, além do alinhamento correto e ausência de apinhamento dental:

  • Incisivos

Na relação incisivos superiores e inferiores, os incisivos superiores devem sobrepor os incisivos inferiores em um terço da coroa dos inferiores.

  • Caninos e pré-molares

Assim como acontece nos incisivos, o rebordo dos caninos superiores deve sobrepor os caninos inferiores, sendo que a cúspide do canino superior deve ficar entre a distal do canino inferior e a mescla do primeiro pré-molar inferior.

  • Molares

Na relação molares superiores e inferiores, os molares superiores devem estabelecer contato com os inferiores sem mordida cruzada, sendo que os molares superiores devem ultrapassar em uma cúspide os molares inferiores.

A má-oclusão é caracterizada por qualquer fator isolado ou conjunto de fatores que impeça a função oclusal.

Quais as causas da má-oclusão?

Segundo Moyers, a maloclusão dental possui 3 classificações etimológicas de acordo com o tecido envolvido, podendo ser de origem dental, muscular ou óssea.

  • Má-oclusão de origem dental

As principais alterações estão nos dentes e no osso alveolar, incluindo mal posicionamento do dente na arcada e alterações de forma, tamanho e número de dentes.

A ausência de elementos dentais causadas por extração, doença periodontal, traumas ou motivos hereditários sem a substituição do dente perdido pode ocasionar a movimentação dos dentes vizinhos para preencher o espaço gerado pela ausência do elemento.

  • Má-oclusão de origem muscular

São alterações cuja causa principal é um desvio da função normal da musculatura, que podem ser causadas por bruxismo, apertamento, deglutição atípica, respiração bucal e nas sucções de dedo e chupeta.

A discordância entre força ou posição da musculatura da face, posição dos lábios e interposição lingual podem ocasionar a má oclusão pela ação da musculatura.

  • Má-oclusão de origem óssea

São alterações de forma, proporção, tamanho ou crescimento de qualquer osso do crânio ou da face, que também podem estar relacionadas com os problemas oclusais de origem dentária e muscular Além disso, podem ter relação com problemas respiratórios e respiração bucal.

Nestes casos, o tratamento ortopédico e ortodôntico deve ser planejado para corrigir alteração óssea e/ou para acomodar os dentes na arcada dentária.

Quais os problemas ocasionados pela má-oclusão?

Conforme mencionamos anteriormente, a má-oclusão pode ter diversas causas, e os distúrbios estão estão relacionados à origem do problema oclusal.

Para facilitar a compreensão, vamos explicar os problemas de acordo com a causa principal:

  • Hábitos Miofuncionais

Os maus hábitos miofuncionais podem comprometer o desenvolvimento da estrutura óssea facial, podendo causar apinhamento dental e problemas de mordida, como mordida aberta, sobremordida e mordida cruzada, tendo relação com problemas e origem óssea e muscular.

Por exemplo, o uso de chupeta e ou sucção digital pode ocasionar mordida aberta, a interposição de língua pode ocasionar diastemas e vestibularização dos dentes anteriores superiores e a deglutição atípica pode ocasionar o desenvolvimento incorreto da arcada dentária, causando apanhamento e mordida profunda.

A respiração bucal pode causar mordida cruzada, apanhamento e apneia do sono.

  • Posicionamento inadequado dos dentes na arcada

Devido ao apinhamento e giroversões, o paciente pode ter dificuldade na higienização, causando cáries e doenças periodontais.

A má posição dos dentes também pode causar fraturas, desgaste do elemento dental, prejuízo estético e psicológico.

  • Problemas articulares na ATM

A oclusão inadequada pode ocasionar apertamento e bruxismo, além de problemas na ATM, gerando estalos, crepitação, desgaste articular e dores de cabeça, pescoço, ombro e costas.

O paciente com má-oclusão dentária tende a solucionar de forma fisiológica e involuntária a mordida por meio de alterações na posição da mandibular através da ação muscular, que é a ação dos músculos gerando efeitos secundários negativos, como recessões gengivais, fissuras no esmalte, recessões gengivas e limitação do movimento mandibular ou dor articular.

Para o Ortodontista escolher o tratamento mais adequado, é importante compreender, além da origem da má oclusão, quais são as classificações dadas às más oclusões.

A seguir, saiba mais sobre o assunto.

Como são classificadas as má-oclusões dentárias?

Para analisar e diagnosticar o tipo de má oclusão, é fundamental o dentista conhecer as seis chaves de oclusão de Andrews, que são os fundamentos básicos de uma oclusão satisfatória.

  • Chave I – Relação molar

Se refere à oclusão e as relações interarcos dos dentes, conformes explicamos nas características dos dentes posteriores na oclusão ideal.

  • Chave II – Angulação da coroa

Se refere à inclinação mésio-distal e à angulação da coroa.      

  • Chave III -Inclinação da coroa

É o torque, que pode ser positivo ou negativo

  • Chave IV – Rotações

As coroas devem estar em seus pontos de contato, sem rotações.

  • Chave V  – Contatos justos

Os contatos devem estar justos e corretos, sem espaços ou apinhamentos.

  • Chave VI – Curva de Spee

A curva de Spee é caracterizada por uma linha imaginária que tangencia as pontas das cúspides vestibulares dos dentes posteriores e bordas incisais do dentes incisivos. É usada para estudos e análises de planos oclusais e sua manutenção favorece atos funcionais como mastigação, deglutição e fonação, além da estética do sorriso.

Orthometric Bráquetes Ortodônticos

Para classificar as maloclusões em Ortodontia, utiliza-se um sistema baseado em casos clínicos similares e que facilitam a discussão e compreensão do tema.

As classificações mais utilizadas são: Angle, Lischer, Simon e Moyers.

Classificação de Angle:

A classificação de Angle é uma metodologia que classifica as maloclusões em 3 grandes grupos. Para isso, baseia-se em uma relação anteroposterior dos primeiros molares permanentes.

Classe I de Angle:

  • chave molar de classe I, em que a cúspide mesiovestibular do primeiro molar superior oclui no sulco mesiovestibular do primeiro molar inferior;
  • relação anteroposterior normal entre arco superior e arco inferior;
  • equilíbrio das funções da musculatura mastigatória, peribucal e da língua.

Classe II de Angle:

A Classificação II de Angle apresenta as seguintes características:

  • cúspide mesiovestibular do primeiro molar superior oclui anteriormente ao sulco mesiovestibular do primeiro molar inferior.

Apresenta duas divisões:

1ª divisão – incisivos superiores apresentam inclinação vestibular e transpasse horizontal aumentado.

2ª divisão – incisivos centrais superiores estão retro-inclinados e os incisivos laterais vestibularizados, o transpasse horizontal é normal.

Classe III de Angle:

A Classificação III de Angle apresenta as seguintes características:

  • cúspide mesiovestibular do primeiro molar superior oclui à frente do sulco mesiovestibular do primeiro molar inferior.;
  • musculatura geralmente desequilibrada;
  • cruzamentos de mordida anterior ou posterior constantemente observados.

Há também a Classe III Funcional, conhecida como Pseudo Classe III, caracterizada por uma acomodação mandibular no sentido anterior.

A classificação proposta por Angle apresenta como desvantagem avaliar somente a posição dos dentes e considera apenas alterações no sentido anteroposterior, não classificando alterações nos sentidos vertical e transversal.

Contudo, apresenta muitas vantagens:

  • fácil compreensão e execução;
  • simplicidade – apenas três classes de classificação;
  • rapidez na identificação do aspecto clínico;
  • possível comparação entre casos clínicos similares ou diferentes.

Por estes motivos é a classificação mais utilizada pelos ortodontistas.

Em relação à classificação das más posições dentárias (individuais ou por grupos de dentes), temos as classificações de Lischer, Simon e Moyers.

Classificação de Lischer

Classifica o mau posicionamento dental de forma individualizada, acrescentando o sufixo “versão” ao termo que indica a direção do desvio: mesioversão, distoversão, vestibuloversão, linguoversão, infraversão, supraversão, giroversão, transversão, torsiversão, axiversão.

Apresenta variações verticais dos grupos de dentes:

  • mordida profunda;
  • mordida aberta.

Apresenta variações transversais dos grupos de dentes:

  • Mordida cruzada lingual;
  • Mordida cruzada bucal (sobre-oclusão).

Classificação de Simon

Em sua classificação, Simon relaciona os arcos dentais a três planos antropológicos baseados em pontos craniométricos:

  • plano de Frankfurt;
  • plano orbital;
  • plano sagital médio.

Anomalias ântero- posteriores:

  • Protração: anteriorização total do arco dental ou de parte dele;
  • Retração: deslocamento de um ou mais elementos dentários para posterior.

Anomalias transversais:

  • Contração: arco dental ou parte dele, está mais próximo do plano sagital médio;
  • Distração: arco ou parte dele está mais distanciado.

Anomalias verticais:

Atração: arco dental, em sua totalidade ou em parte, está mais próximo do plano de Frankfurt;

  • Abstração: arco dental ou parte dele está mais distante.

A classificação de Moyers foi descrita neste artigo quando abordamos sobre a etimologia da má oclusão.

Quais os tratamentos indicados para má-oclusão dentária?

Os tratamentos para má-oclusão podem ser preventivos, interceptativos ou corretivos.

  • Tratamento preventivo: indicado para previnir maloclusão, quando ocorre a perda de um dente por trauma ou extração, ou na dentição decídua para prevenir problemas na dentição mista ou permanente.
  • Tratamento interceptativo: indicado durante a dentição mista, através de tratamentos ortodônticos e ortodopédicos, para interceptar sinais de má oclusão que podem necessitar de tratamento ortodôntico corretivo na dentição permanente caso não seja realizada a intervenção precoce.
  • Tratamento corretivo: indicado para tratamento ortodôntico na dentição permanente. Pode ser realizado com alinhadores estéticos ou bráquetes, sendo colados na face vestibular ou lingual do dente, de acordo com a técnica escolhida.

Quais são os tipos de bráquetes ortodônticos?

Em relação à técnica, os bráquetes podem ser convencionais, linguais ou autoligados:

  • Bráquete convencional:

No modelo tradicional, os bráquetes são colados com resina ortodôntica e o fio é inserido dentro do slot e preso com elástico ortodôntico.

Devido ao atrito gerado entre o elástico e o fio e por empregar mais força, pode não ser tão confortável para o paciente quanto o bráquete autoligado.

Requer manutenção em intervalos menores, de acordo com o tempo determinado pelo ortodontista.

  • Bráquete lingual:

Os bráquetes são fixados na face lingual, ficando oculto e não interferindo na estética.

  • Bráquete autoligado:

No modelo autoligado, os bráquetes também são colados com resina ortodôntica e o fio é inserido no clipe de fechamento, não necessitando de elástico para prender o fio ortodôntico.

Provoca menos atrito, gerando maior conforto ao paciente e intervalo maior entre as consultas, além de um tratamento mais rápido em relação aos bráquetes tradicionais.

Bráquetes Metálicos e Estéticos

Atualmente os bráquetes disponíveis no mercado podem ser metálicos ou estéticos.

Os bráquetes estéticos geralmente são produzidos com os seguintesmateriais: cerâmica, safira e policarbonato.

  • Bráquete metálico

São os mais tradicionais. Apresentam grande resistência e excelente custo-benefício, mas não são estéticos.

  • Bráquete Cerâmico

Apresenta boa estética, boa aderência e ótima resistência. Possui coloração parecida com o esmalte dental.

  • Bráquete Safira 

Apresenta ótima estética, por ser transparente, além de boa adesão e resistência. 

  • Bráquete de Policarbonato: 

Foram os primeiros bráquetes estéticos. O policarbonato é uma resina plástica de alta resistência. Apresenta boa estética, boa aderência e ótima resistência. Possui excelente custo-benefício.

Bráquetes Orthometric

Há quase 20 anos no mercado, a Orthometric é uma marca brasileira de produtos odontológicos com foco em Ortodontia. Seus produtos são criados por dentistas para dentistas, sendo este o principal diferencial da marca.

A Orthometric possui braquetes cerâmicos e metálicos, para as técnicas convencional (Roth, Edwise e Capeloza) e autoligado.

Os bráquetes Orthometric convencionais apresentam os seguintes diferenciais:

  • desenho e base anatômicos, proporcionando conforto ao paciente;
  • desenho da borda garantindo vedamento marginal;
  • superfície com texturização, aumentando a retenção;
  • ganchos nos caninos e pré – molares.

Além destas características, os braquetes Orthometric autoligados oferecemos seguintes benefícios:

  • slot com bordas externas chanfradas para redução de atrito;
  • marcação permanente nas aletas facilitando a identificação.

Referências:

Agora que você já compreendeu a relação da ortodontia com a má-oclusão dentária e viu que para o tratamento corretivo há inúmeras opções de bráquetes e acessórios ortodônticos, conheça o portfólio de produtos odontológicos da Dental Speed.

Em nosso site oferecemos uma grande variedade de bráquetes Orthometric e demais marcas reconhecidas no mercado odontológico, além de uma linha completa de produtos para Ortodontia. Confira!

BRAQUETES: Conheça os principais tipos, materiais e indicações. Blog Dental Tiradentes, [S. l.], p. 1-1, 30 abr. 2021. Disponível em: https://blog.dentaltiradentes.com.br/braquetes/. Acesso em: 13 abr. 2023.

OS BRÁQUETES estéticos são todos iguais?. Blog Dental Cremer, [S. l.], p. 1-1, 1 set. 2022. Disponível em: https://blog.dentalcremer.com.br/os-braquetes-esteticos-sao-todos-iguais/. Acesso em: 13 abr. 2023.

APARELHO autoligado: metálico ou estético?. Blog Dental Cremer, [S. l.], p. 1-1, 11 fev. 2020. Disponível em: https://blog.dentalcremer.com.br/aparelhos-autoligados-metalico-ou-estetico/. Acesso em: 13 abr. 2023.

PROBLEMAS Verticais em Ortodontia: Sobremordida Exagerada ou Mordida Profunda. Blog Dental Cremer, [S. l.], p. 1-1, 27 dez. 2022. Disponível em: https://blog.dentalcremer.com.br/problemas-verticais-em-ortodontia-sobremordida-exagerada-ou-mordida-profunda/. Acesso em: 13 abr. 2023.

BATAGLION, C. Fundamentos e conceitos básicos da oclusão dentária. Ribeirão Preto: Apostila.

CLASSIFICAÇÃO das más-oclusões. Moro Ortodontia, 1 abr. 2013. Apresentação em PDF. Disponível em: https://www.moroortodontia.com.br/ortodontia/Classifoclus.pdf. Acesso em: 13 abr. 2023.

Princípios de uma oclusão ideal / Principles of ideal occlusion. Machado, Márcia Sabrina Barbosa. Belo Horizonte; s.n; 2018.  Disponível em: http://hdl.handle.net/1843/ODON-B3XH72

AS 6 Chaves da Oclusão Perfeita de Andrews. Odonto UP, [S. l.], p. 1-1, 1 abr. 2023. Disponível em: https://www.odontoup.com.br/as-6-chaves-da-oclusao-perfeita-de-andrews/. Acesso em: 13 abr. 2023.

CLASSIFICAÇÃO de Angle. Odonto UP, [S. l.], p. 1-1, 1 abr. 2023. Disponível em: https://www.odontoup.com.br/classificacao-de-angle/. Acesso em: 13 abr. 2023.

DICAS DE PORTUGUÊS: MEIO, MEIA, MALFORMAÇÃO E MALOCLUSÃO. UFLA, [S. l.], p. 1-1, 27 abr. 2015. Disponível em: https://www.ufla.br/dcom/2015/04/27/dicas-de-portugues-meio-meia-malformacao-e-maloclusao/. Acesso em: 13 abr. 2023.[GNW1] 

Publicado por
Dra. Fernanda Skupien

Cirurgiã-dentista pela Universidade Paulista (UNIP), especialista em endodontia pelo Hospital Geral do Exército de São Paulo (HGESP) e especialista em marketing pela Universidade Mackenzie.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Ortodontia

Bráquete metálico ou estético: Qual indicar?

Na Ortodontia, assim como nas demais especialidades odontológicas, é cada vez mais...

Ortodontia

Mitos e verdades da Ortodontia

Conheça os maiores mitos envolvendo a Ortodontia e como você, cirurgião-dentista, pode...

Fios Ortodônticos: diferenças, evolução e uso
Ortodontia

Fios Ortodônticos: diferenças, evolução e uso

Confira tudo que você precisa saber sobre fios ortodônticos para fazer a...

Está na hora de mudar de resina?
Dentística e EstéticaOrtodontia

Está na hora de mudar de resina?

Produto essencial na rotina dos consultórios, a resina faz toda a diferença...