Creme dental: o que o cirurgião-dentista precisa saber

Odontologia

O creme dental, também conhecido como dentifrício ou pasta de dentes, é um produto essencial para os cuidados diários com a higiene oral. Usado em conjunto com a escova de dentes, além de facilitar a remoção de biofilme, permite a administração de substâncias à superfície dental, como o flúor

Por muitos anos, o creme dental foi considerado apenas um simples item cosmético. No entanto, com a constante evolução de estudos e pesquisas científicas sobre o tema, hoje ele desempenha um importante papel terapêutico na manutenção da saúde bucal dos pacientes. 

Para que possa recomendar o produto mais apropriado e que atenda às necessidades individuais de cada paciente, é fundamental que o cirurgião-dentista entenda quais os principais componentes dos cremes dentais, como abrasivos, flavorizantes, agentes terapêuticos, etc.  

Ao longo desta matéria, confira mais informações sobre cremes dentais e suas principais indicações. 

Origem do creme dental 

O creme dental surgiu no Egito há 4 mil anos, era composto basicamente por pedra pomes pulverizada e vinagre e aplicado sobre os dentes com pequenos ramos de arbustos.  

Já o primeiro dentifrício comercializado foi desenvolvido em 1950, nos Estados Unidos. Inicialmente como um pó, e depois modificado para a forma de pasta dental

Mas foi na década de 70-80, com o lançamento de produtos fluoretados – com fluoreto de sódio (NaF) e monofluorfosfato de sódio (MFP) em sua composição – que a venda de cremes dentais deu um grande salto. 

Daí em diante, novas apresentações e formulações do produto foram sendo desenvolvidas para atender as mais diversas necessidades bucais da população. 

Verniz de Flúor Duraphat Colgate

Principais componentes do creme dental 

Hoje, além de substâncias para manter a forma física do produto, os cremes dentais trazem demais componentes preventivos, que auxiliam no tratamento de determinada patologia e na prevenção de vários problemas bucais. 

Logo, a composição básica de um creme dental possui:  

  • Abrasivo (20-50%); 
  • Umectante (20-40%); 
  • Água (20-35%); 
  • Ligante (1-2%); 
  • Detergente (1-3%); 
  • Flavorizante (1-2%); 
  • Conservante (0,05-0,5%); 
  • Princípios preventivo-terapêuticos (0,4-1%). 

Abrasivos 

Os agentes abrasivos são utilizados para limpeza e polimento superficial, proporcionando ao paciente a impressão de “dentes mais brancos”.  

A abrasividade de um creme dental é medida pelo RDA (Relative Dentin Abrasivity), ou seja, o potencial de abrasividade em relação à dentina.  

Como saber a abrasividade (RDA) dos cremes dental? 

Internacionalmente o valor aceito de RDA é de 250, e apesar da grande variedade de cremes dentais no mercado, nenhum apresenta valor RDA maior que o permitido. 

Na tabela a seguir, é possível conferir os níveis de abrasividade do creme dental de acordo com o valor RDA. 

Abrasividade Creme Dental

A quantidade de abrasivos utilizada no creme dental precisa ser limitada para que não ocorram danos nas estruturas que formam o dente.   

Não há muita preocupação em relação ao esmalte, que é um tecido muito mineralizado e sua dureza é maior do que a dos abrasivos utilizados nos cremes.  

Porém, quando há exposição de dentina, devemos nos preocupar com a abrasividade do creme dental e com a dureza das cerdas para que não haja perda tecidual.  

Saiba mais em: Retração Gengival: causas e tratamentos

Podemos dizer que a maior preocupação é em relação às lesões de retração gengival em adultos. Logo, o melhor abrasivo é aquele que fornece o máximo de limpeza com a menor abrasividade. 

Umectantes 

Os umectantes são agentes hidrofílicos (possuem afinidade com a água) que auxiliam na aparência e consistência dos dentifrícios, impedindo, por exemplo, que o creme dental endureça dentro da embalagem.  

Alguns umectantes comumente usados na fabricação de cremes dentais são sorbitol e glicerol. 

Ligantes  

Agentes ligantes ou aglutinantes são responsáveis pela homogeneidade do creme dental. Um exemplo de ligante muito utilizado é a carboximetilcelulose sódica (CMC). 

Essas substâncias garantem que os componentes fiquem misturados e dão textura e cremosidade ao produto.  

Detergentes 

Substâncias detergentes facilitam a limpeza, ressuspendendo resíduos removidos da superfície. Possuem propriedades molhantes, emulsificantes, espumógenas e solubilizantes.  

O mais utilizado é o lauril sulfato de sódio (LSS), que em altas concentrações pode causar reações alérgicas.  

Há quem diga que o LSS seria um agente cancerígeno, mas a afirmação não pode ser confirmada devido à falta de comprovações científicas.  

Formulações com menos quantidade de LSS deve ser prescrita para pacientes com reações alérgicas, pois não há dentifrícios sem LSS no mercado. 

Flavorizantes 

Os agentes flavorizantes são responsáveis pelo “bom hálito”, porém, em alguns casos, sua utilização pode se relacionar à sensibilidade na mucosa bucal (queimação)  por conta dos óleos aromáticos utilizados na fórmula.  

Desse modo, deve-se orientar o paciente a mudar de creme dental caso ele relate queimação, até encontrar um dentifrício que não agrida o tecido.  

Em algumas situações, pode-se prescrever um creme manipulado com baixa concentração de óleos aromáticos, além de menores concentrações de LSS (lauril sulfato de sódio), detergente muito utilizado em cosméticos, também relacionado com sensibilidade.  

 Clareadores dental Dental Speed

Conservantes 

Os conservantes são utilizados para preservar o produto, mantendo a fórmula ativa e prevenindo o crescimento de microrganismos. 

O uso de conservantes é essencial devido à grande quantidade de água utilizada na formulação de cremes dentais, principalmente nas versões líquidas do produto. 

O principal conservante encontrado em cremes dentais é o p-hidroxibenzoato de metila. 

Agentes terapêuticos 

A adição de substâncias preventivo-terapêuticas aos dentifrícios é de grande importância para o combate de doenças e infecções que acometem os tecidos bucais. 

O flúor, por exemplo, é a substância terapêutica mais utilizada na fabricação de cremes dentais

Por auxiliar no processo de remineralização do esmalte dental após o ataque ácido produzido por bactérias cariogênicas, é o princípio ativo de maior importância para a prevenção da doença cárie. 

Contudo, também é possível encontrar diversos outros agentes terapêuticos na composição dos cremes dentais, como: 

  • Zinco e pirofostato contra a formação de tártaro;  
  • Óleos essenciais para eliminação de placa bacteriana; 
  • Peróxidos que auxiliam na remoção de manchas; 
  • Clorexidina como agente antimicrobiano; 
  • Entre outros. 

Diferentes tipos de cremes dentais 

Hoje, é possível encontrar uma grande variedade de cremes dentais no mercado, com diferentes formulações e apresentações.  

Neste caso, o dentista deve estar atento à composição de cada produto, a fim de indicar a melhor solução para seus pacientes. 

A seguir, trouxemos os principais tipos de cremes dentais disponíveis. Confira! 

Cremes dentais anticárie 

A escovação mecânica em conjunto com o creme dental é a forma mais eficaz de evitar o desenvolvimento de biofilme, e consequentemente da cárie dental. Contudo, nem sempre a escovação é feita de forma adequada e com a frequência recomendada pelos dentistas. 

Saiba mais em: Escova dental elétrica: conheça os benefícios para o paciente

Visto isso, cremes dentais com flúor em sua composição são os mais indicados, tanto para pacientes adultos quanto para crianças.  

Isso porque o flúor compensa as limitações da escovação, tornando o esmalte dentário mais resistentes a bactérias cariogênicas e acelerando o processo de remineralização. 

Além disso, para oferecer uma proteção realmente efetiva, é necessário que o creme dental tenha uma concentração mínima de flúor em sua composição, que de acordo com estudos científicos deve ser de 1000 ppm F (mg F/kg). 

No Brasil, há opções de cremes com concentração de 1500 ppm, pois o carbonato de cálcio, utilizado como abrasivo, reage com o flúor e diminui a quantidade ativa de produto na formulação. 

Além disso, para pacientes adultos com alto risco de cárie, também existem opções de dentifrícios com alta concentração de flúor, como Orthogard da Colgate e Clinpro da 3M, contendo 5000ppm F em suas fórmulas. 

Cremes Dentais branqueadores 

O manchamento dos dentes está relacionado com a pigmentação da camada de proteínas salivares (ou película adquirida) continuamente em formação na superfície dental.  

Logo, cremes dentais branqueadores são compostos por abrasivos como carbonato de cálcio, sílica hidratada, pirofosfato de cálcio, etc. que atuam nos desgastes das estruturas dentárias, 

Esse tipo de produto é capaz de remover manchas e manter os dentes mais brancos. Contudo, por serem altamente abrasivos, são contraindicados para pacientes com exposição de dentina.  

Cremes dentais para sensibilidade 

A sensibilidade dentinária é uma das principais queixas dos pacientes em consultório odontológico, pois costuma causar muita dor e desconforto.  

Esse distúrbio ocorre devido à perda de esmalte e/ou cemento, deixando a dentina exposta a estímulos externos como alimentos frios, quentes, ácidos, etc. 

Em conjunto com demais tratamentos e técnicas em consultório, o uso de cremes dentais também pode ser indicado para auxiliar na sensibilidade. 

A principal substância utilizada na fabricação de cremes dentais próprios para sensibilidade é o cloreto de estrôncio ou o nitrato de potássio, que favorece a obliteração dos canalículos dentinários. 

Todavia, já existem algumas soluções inovadoras no mercado brasileiro, como o creme dental elmex Sensitive, que traz tricálcio fosfato e arginina em sua composição, promovendo alívio imediato e proteção a longo prazo contra a sensibilidade. 

Cremes dentais para pacientes com gengivite 

Em relação ao tratamento de gengivite, a intensificação da higiene bucal é o primeiro passo para combatê-la.  

Desta forma, pode-se indicar o uso de cremes dentais com substâncias antissépticas. O triclosan associado com gantrez ou zinco, por exemplo, tem ação efetiva contra o acúmulo de placa. 

Agindo no acúmulo de placa, podemos dizer que haverá diminuição de inflamações gengivais e redução da formação de tártaro. 

O creme dental Periogard da Colgate é uma excelente opção para pacientes com gengivite, reduzindo o sangramento gengival em até 62,8%. 

Qual creme dental indicar para as crianças? 

Para pacientes infantis, além de indicar um dentifrício, é preciso orientar os pais sobre a ingestão do creme dental, a quantidade utilizada e a importância do monitoramento da criança enquanto ela escova os dentes, devido ao risco de fluorose dental. 

No entanto, ainda que a fluorose se manifeste de forma branda, não comprometendo a estética ou afetando a qualidade de vida das crianças, os estudos são claros ao afirmar que não existe prevenção da cárie quando cremes dentais sem flúor são utilizados. 

Sendo assim, o uso de cremes dentais com flúor se justifica desde a erupção dos primeiros dentes decíduos. 

Concentração de flúor no creme dental infantil 

Em relação à concentração dos dentifrícios, há consenso entre pesquisadores de que os efeitos benéficos do uso de cremes dentais existem somente para concentrações iguais ou acima de 1.000 ppm de flúor.  

Portanto, não é apropriado a recomendação do uso de cremes dentais sem flúor ou com baixa concentração de flúor (550/750ppm) para a prevenção da cárie dentária em crianças. 

Esta é uma informação importante para repassar aos pacientes, já que a aquisição do creme dental para crianças precisa ser feita levando-se em conta a concentração de flúor e não a faixa etária em que a criança se encontra – fator geralmente utilizado pelas empresas para a classificação comercial dos dentifrícios infantis. 

Quantidade correta de creme dental para uso infantil  

O efeito anticárie do flúor depende da concentração, mas o risco da fluorose depende da dose.  

Então, a melhor recomendação para o uso de creme dental infantil com flúor em crianças é adequar a quantidade de pasta colocada na escova.  

Com isso, reduzimos o risco de desenvolvimento de fluorose sem afetar o benefício anticárie.  

Confira a quantidade adequada de creme dental fluoretado para crianças: 

  • Menores de 2 anos: quantidade correspondente a 1 GRÃO DE ARROZ CRU (0,2 mg de flúor). 
  • Entre 2 e 5 anos: quantidade correspondente a 1 GRÃO DE ERVILHA (0,4 mg de flúor). 

Todas as crianças devem receber os benefícios do flúor, inclusive os bebês. Porém, é preciso maximizar os efeitos preventivos do flúor e minimizar os riscos do desenvolvimento da fluorose dentária. 

Isso se faz utilizando creme dental fluoretado na concentração padrão (1.000 – 1.100 ppm de flúor) em baixas quantidades, após as principais refeições e sempre supervisionado por um adulto. 

Melhores ofertas em Odontopediatria

Por fim, é importante explicar aos pacientes que as doenças bucais surgem, basicamente, do acúmulo de placa bacteriana na superfície dental.  

Do mesmo modo, enfatizar a importância da remoção mecânica da placa, ensinar técnicas de escovação eficazes e indicar produtos que contribuam para os cuidados bucais também é essencial para manutenção da saúde da boca. 

Por isso, aproveite para conferir a linha completa de produtos para higiene oral na Dental Speed. Lá você encontra diversas opções em cremes dentais Colgate, Oral-B, elmex e demais marcas para abastecer seu consultório! 

Referências: 

CREME dental: como escolher?. CFO, [S. l.], p. 1-1, 13 jun. 2016. Disponível em: https://website.cfo.org.br/creme-dental-como-escolher/. Acesso em: 13 out. 2022. 

9 passos para escolher o melhor creme dental. Veja, [S. l.], p. 1-1, 8 jun. 2019. Disponível em: https://saude.abril.com.br/medicina/9-passos-para-escolher-o-melhor-creme-dental-para-voce-e-sua-familia/. Acesso em: 13 out. 2022. 

SÔNIA Groisman – Dentifrícios: como e quando indicar. [S. l.]: CRORJ, 2021. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=1PwJjdrUvzs. Acesso em: 13 out. 2022. 

CREMES dentais: entenda a diferença entre eles. Odonto Company, [S. l.], p. 1-1, 8 jun. 2019. Disponível em: https://doutorsantoandre.com.br/odontologia/2022/04/29/diferencas-cremes-dentais/. Acesso em: 13 out. 2022. 

COMO ESCOLHER o melhor creme dental. Uniodonto, [S. l.], p. 1-1, 8 jun. 2019. Disponível em: https://uniodontominas.com.br/como-escolher-o-melhor-creme-dental/. Acesso em: 13 out. 2022. 

TIPOS de cremes dentais: quais existem e quando usar cada um? Fonte: Simpatio em <a href=”https://simpatio.com.br/tipos-cremes-dentais/”>Tipos De Cremes Dentais – Quais Existem e Quando Usar Cada Um?. Simpatio, [S. l.], p. 1-1, 8 jun. 2019. Disponível em: https://simpatio.com.br/tipos-cremes-dentais/. Acesso em: 13 out. 2022. 

Cury JA. Dentifrícios: como escolher e como indicar. In: Associação Paulista dos Cirurgiões-Dentistas. Odontologia. São Paulo: Artes Médicas – Divisão Odontológica. 2002. p.281-95 

Texto escrito originalmente em 29 de março de 2016 por Dra. Juliana Lemes e reescrito no dia 18 de outubro de 2022 por Gabrielli Nery Wandscheer.

Dentista em Blog Dental Speed
Graduada pela UNESP-SJC e atua em clínica geral e estética dental.
Últimos posts por Dra. Juliana Lemes (exibir todos)

Artigos relacionados

Infecções Fúngicas na Odontologia

Infecções Fúngicas na Odontologia

Artigos mais lidos
Confira as principais infecções fúngicas que acometem a cavidade bucal – Candidíase (sapinho), Paracoccidioidomicose e Histoplasmose – e a importância do cirurgião-dentista para o diagnóstico precoce, tratamento e encaminhamento médico.

Education Template