Como fazer limpeza e manutenção de instrumentais odontológicos?

Biossegurança

Limpeza e manutenção de instrumentais odontológicos

Como parte fundamental de um consultório odontológico, a rotina de limpeza e manutenção de instrumentais deve ser seguida com rigor, a fim de manter a segurança da equipe no consultório e dos pacientes atendidos.

De fato, trata-se de um tema que não é explorado durante o ensino acadêmico. Logo, ao se deparar com tantas regras e cuidados a serem tomadas, surgem muitas dúvidas envolvendo a biossegurança e a forma mais correta de tratar os instrumentais.

Como fazer limpeza e manutenção de instrumentais odontológicos?

Cuidar dos instrumentais odontológicos da maneira correta ajuda a preservá-los e evita a necessidade de reposição. Se essa etapa não for realizada de forma correta, eles continuam contaminados e correndo o risco de formar o Biofilme.

Seguindo o passo a passo dos fabricantes você poderá evitar a contaminação destes materiais, além de prevenir que os seus instrumentais fiquem com uma aparência de envelhecidos e enferrujados

Limpeza de instrumentais

Após você terminar o atendimento, coloque todos os instrumentais utilizados no procedimento em uma cuba fechada e borrife de 1 a 2 vezes o detergente enzimático com PH balanceado.

Ao final do dia, após finalizar todos os atendimentos, junte todos os instrumentais em um recipiente. Adicione junto à água o detergente enzimático concentrado, diluindo de acordo com as orientações do fabricante. Normalmente, 5 a 10 minutos são suficientes para a pré-limpeza.

Após a imersão, você pode prosseguir a limpeza de duas formas: lavagem manual ou lavagem ultrassônica.

Dica: Para a lavagem dos instrumentos que contém sangue, o segredo é não deixar o sangue “secar”. O ideal é sempre manter o instrumental umedecido com detergente enzimático até a lavagem final.

eBook de organização e biossegurança no consultório da dental speed

Lavagem Manual

Para a lavagem manual será necessário o uso de:

  • Luvas de borracha próprias para limpeza;
  • Escova de cabo longo;
  • Detergente Enzimático;
  • Cuba para imersão;
  • Além, é claro, de todo os EPIs comumente utilizados no consultório, incluindo sapatos de borracha e óculos de proteção.

Usando as luvas de borracha, faça a limpeza dos instrumentos sob imersão na solução de detergente, utilizando escovas de cabo longo que evitam a proximidade da sua mão com a ponta cortante do instrumento.

Atenção: Não deverão ser utilizadas escovas de cozinha, nem escovas de unha, pois além de deixarem o instrumento muito próximo da sua mão, não farão a limpeza correta do material.

Instrumentais para dia a dia do consultório odontológico na Dental Speed

Lavagem em cuba ultrassônica

Primeiramente, realize a desgaseificação da cuba ultrassônica. Para isso, coloque a solução de detergente enzimático no equipamento e realize um primeiro ciclo sem os instrumentais.

Esse procedimento tem a finalidade de remover o gás incorporado na água, que dificulta a ação das ondas do ultrassom durante o processo de limpeza, e deve ser repetido sempre que houver a troca da solução, de acordo com a rotina do consultório e sempre que a solução apresentar depósito no fundo do equipamento e/ou estiver turva.

Para a lavagem dos instrumentos na lavadora ultrassônica, deposite os materiais e ative um ciclo. A princípio, 8 minutos já são suficientes para a limpeza da maioria dos instrumentos, mas é importante sempre realizar a inspeção visual dos materiais após o clico e, se necessário, aumentar o tempo.

Na sequência, a fim de promover uma limpeza completa, é necessário realizar uma limpeza manual. As principais vantagens de usar a cuba de ultrassom é que o equipamento possibilita uma limpeza das áreas de difícil acesso das cerdas da escova, garantindo uma maior biossegurança.

Preparação do detergente enzimático

Alguns cuidados são necessários ao realizar a preparação do detergente enzimático que será utilizado na cuba plástica ou cuba ultrassônica.

Para preparar a solução, utilize uma jarra para medir a água.  Já o detergente enzimático deve ser medido em uma seringa, por ser mais precisa do que a própria tampa da embalagem, comumente utilizada.

Enxague, inspeção visual e secagem

Após todos os processos anteriores, o ideal é verificar um a um dos instrumentais, para se certificar que estão livres de qualquer sujidade.

Estando tudo certo com a etapa anterior, basta fazer o enxague com água de boa procedência, utilizando, preferencialmente, água filtrada.

Agora passamos para a segunda parte do processo: a secagem. Os instrumentais precisam ser secados com cuidado antes de serem embalados. Use toalha de papel ou não tecido, de preferência que não solte resíduos. Uma dica é colocá-los em uma secadora para instrumentais.

Montagem de Kits e Embalagem

Para embalagem dos instrumentais, pode-se ser utilizar envelopes para esterilização auto selantes, que podem ser adquiridos em tamanhos já pré-definidos. Ou utilizar um rolo para esterilização em conjunto com a seladora, e produzir as próprias embalagens de acordo com a quantidade de instrumentais a serem esterilizados.

Uma dica é preparar os envelopes de acordo com a especialidade e indicação de uso. Pode-se também criar modelos de “kits clínicos”, que já ficam prontos e são muito práticos na rotina do consultório.

Atenção: lembrando que os envelopes para esterilização são de uso único e uma vez que usados, devem ser descartados.

Esterilização

Para a esterilização dos materiais é importante posicionar os envelopes no suporte da autoclave odontológica, contudo, se utilizar sem o suporte, é importante que o envelope esteja com a parte plástica sempre voltada para baixo, nunca empilhados, permitindo a passagem do vapor da água destilada.

Após o término da esterilização, incluindo o ciclo da secagem, os envelopes precisam sair totalmente secos. Caso estejam úmidos, é aconselhável refazer o processo de esterilização.

Autoclave Odontológica Dental Speed

Lubrificação, manutenção e conservação de instrumentais odontológicos

O dia a dia desgasta os instrumentais e isso interfere diretamente no processo de limpeza e esterilização. Logo, é importante incluir na rotina o uso de removedores de oxidação e lubrificantes.

A lubrificação deve ser feita após a limpeza dos instrumentos. No caso de instrumentais articulados, como alicates, pode-se utilizar lubrificantes cirúrgicos. Pingue algumas gotas do lubrificante nas áreas de movimentação, envolva a área com algodão ou gaze e siga normalmente com o empacotamento e esterilização do instrumento.

Para os materiais que já estão sem brilhos, existe no mercado um produto chamado desincrustante ácido! Assim, ele poderá revitalizar e dar brilho aos seus instrumentais.

Por fim, alguns desincrustastes podem ser utilizados também na limpeza da cuba da autoclave, porém é importante conferir no manual do seu equipamento se o uso deste tipo de produto é permitido.

Produtos de biossegurança para consultório odontológico na dental speed

Esperamos que tenham gostado das dicas! Colocando-as em prática, seus equipamentos e instrumentais terão uma maior vida útil.

A Dental Speed conta com produtos especiais para manter a biossegurança do seu consultório. Veja aqui a linha completa de produtos e aproveite ofertas exclusivas!

Até mais!

Cirurgiãs-dentistas em Blog Dental Speed
Graduadas em Odontologia pela Universidade do Sagrado Coração (USC), especialistas em prótese dentária e sócias-proprietárias do Dabus Abiati Odontologia Estética.
Dra. Mariana Dabus e Dra. Roberta Abiati
Últimos posts por Dra. Mariana Dabus e Dra. Roberta Abiati (exibir todos)
Produtos mostrados:
Como fazer limpeza e manutenção de instrumentais odontológicos?

Detergente Enzimático Riozyme Eco 1L

Rioquímica
Como fazer limpeza e manutenção de instrumentais odontológicos?

Detergente Desincrustante Oxi Max 1l

Rioquímica
Como fazer limpeza e manutenção de instrumentais odontológicos?

Bandeja para Esterilização Odontológica Grande

Maquira
Como fazer limpeza e manutenção de instrumentais odontológicos?

Autoclave Vitale Class Aço Inox 12L - Bivolt

Cristófoli

Artigos relacionados

Infecções Fúngicas na Odontologia

Infecções Fúngicas na Odontologia

Artigos mais lidos
Confira as principais infecções fúngicas que acometem a cavidade bucal – Candidíase (sapinho), Paracoccidioidomicose e Histoplasmose – e a importância do cirurgião-dentista para o diagnóstico precoce, tratamento e encaminhamento médico.

Education Template