Os profissionais da área da saúde estão diariamente expostos a diversos tipos de patologias, inclusive o cirurgião-dentista, que diante a realização dos procedimentos odontológicos, corre um alto risco de adquirir doenças infectocontagiosas.

Diante tal situação tornou-se imprescindível a utilização clínica de determinados enxaguantes bucais, a fim de reduzir o número de microrganismos presentes durante procedimentos que geram aerossol.

Nesta matéria, você vai conferir mais informações sobre a importância da utilização destas soluções no consultório odontológico e os cuidados a serem tomados em determinados casos clínicos.

O que é enxaguante bucal?

Enxaguantes bucais são basicamente substâncias líquidas desenvolvidas para auxiliar nos cuidados com a higiene oral e podem ser classificados como cosméticos e terapêuticos.

Enxaguantes cosméticos são produtos vendidos sem prescrição profissional, que auxiliam na remoção de resíduos da cavidade bucal, amenizam o mau hálito temporariamente e são complementares à escovação mecânica e uso de fio dental.

Os terapêuticos, além de oferecerem todos os benefícios de um enxaguante cosmético para a higiene bucal dos pacientes, possuem princípios ativos que irão atuar como medicamentos, combatendo problemas bucais como gengivite e periodontite.

Estes precisam de prescrição do cirurgião-dentista, pois sabe-se que os que contêm em sua composição clorexidina 0,12%, por exemplo, são usados de modo indiscriminado e prolongado podem ocasionar alterações na mucosa bucal e nas papilas linguais.

Essas alterações abrangem desde mudança de paladar, manchas nos dentes, descamação e dor na mucosa.

Porém, clinicamente dentro do consultório e de forma controlada eles possuem papel fundamental quando o assunto é reduzir a quantidade de bactérias que possam ser dissipadas através do aerossol nos procedimentos odontológicos.

Verniz de Flúor Duraphat Colgate

A importância do enxaguante bucal durante o atendimento odontológico

Uma das principais vias de transmissão é a aerolização, caracterizada por uma transferência de microrganismos por aerossóis quando instrumentos odontológicos, como peças de mão, raspador de ultrassome jato de bicarbonato de sódio, são utilizados durante os procedimentos dentários.

Estudos afirmam que a utilização dos enxaguantes que contêm clorexidina 0,12% em sua composição e possuem papel efetivo contra muitas bactérias uma vez que reduzem significativamente a microbiota presente no aerossol e que poderia gerar diversas contaminações, inclusive a cruzada.

Esta transmissão pode se dar através de contato pessoa-pessoa, pelo ar ou através de objetos contaminados.

A utilização de antissépticos previamente ao tratamento dentário tem sido demonstrada como forma de redução de microrganismos viáveis no aerossol.

Entende-se o aerossol como sendo partículas líquidas e/ou sólidas em suspensão no ar. Trata-se de microrganismos patogênicos, que eventualmente estejam presentes no sangue, saliva e placa dentária dos pacientes, e podem ser transmitidos para a equipe odontológica e para os pacientes que serão atendidos posteriormente, por meio dos aerossóis.

Dessa forma, os enxaguantes tem como papel controlar o número dessas bactérias durante o atendimento.

Estes fatos também reforçam a necessidade de implementar medidas obrigatórias de precaução universal e efetivo controle de infecção.

O uso de lençóis de borracha e soluções antimicrobianas combinadas com escovação pré-operatória são indicados para reduzir a contaminação bacteriana e sua disseminação.

Você também pode se interessar pelos conteúdos:

·         Clorexidina: Indicações e contraindicações na Odontologia

·         Microrganismos como fontes de contaminação no consultório odontológico

Tipos de enxaguantes bucais

Para usá-los de forma correta é necessário se atentar a diversidade de composição e indicação de cada um desses produtos. Um ponto importante é evitar os enxaguantes que contém álcool, já que podem causar descamação dos tecidos bucais, boca seca e ardência.

O ideal é preferir enxaguantes bucais com flúor, uma vez que este componente auxilia na prevenção de cárie dentaria.

Existem também enxaguantes bucais que são específicos para auxiliar na sensibilidade dental, estes associam flúor e nitrato de potássio em sua composição.

Por fim, há os enxaguantes indicados para pós-operatório com maiores propriedades antissépticas e antibacterianas, estes são os mesmos que auxiliarão no processo de controle bacteriano do aerossol liberado durante os procedimentos dentro do consultório.

Sabemos que o marketing induz nossos pacientes a comprarem produtos que muitas vezes não tem indicação clínica para seus casos clínicos e cabe a nós orientá-los.

Escova Dental Elétrica Colgateem Oferta Dental Speed

Uso de enxaguantes bucais em pacientes odontopediátricos

A literatura não relata a permissão do uso de colutórios bucais em pacientes odontopediátricos. Isso ocorre em virtude de a criança não saber bochechar e correr o risco de deglutir o produto.

Contudo, sabemos que a clorexidina 0,12% presente em enxaguantes específicos faz parte de muitos protocolos de atendimentos emergenciais, inclusive infantis.

Nesses casos há a supervisão do profissional usando o produto de forma tópica e não permitindo que a criança o bochecho.

Sendo assim, o profissional precisa estar atualizado diante as práticas do dia a dia clínico para que possa orientar, indicar e intervir quando necessário.

Contraindicações do uso de enxaguante durante o atendimento odontológico

A contraindicação existe quando há alguma alergia aos componentes e quando o produto é utilizado de forma errada, por muitos dias consecutivos e sem indicação profissional.

Diante todas essas informações é notório que os enxaguantes bucais a base de clorexidina 0,12% sejam aliados no controle dos microrganismos patógenos, uma vez que apresentem significativa redução destes.

Ademais, nota-se também a importância do equipamento de proteção individual para dentistas e assistentes já que há possibilidade de ocorrer infecção cruzada devido à utilização de turbinas de alta rotação e seringas tríplices no consultório.

Na Dental Speed você encontra uma linha completa de enxaguantes bucais e de produtos para biossegurança como equipamentos de proteção individual – EPIs, itens para limpeza e saneantes.

Aproveite para abastecer o seu estoque com produtos de qualidade e manter o seu consultório, sua equipe e seus pacientes sempre protegidos.

Referências:

Gonçalves, Luciano Blanco, Ramos, Adilson Luiz e Gasparetto, AndréAvaliação do efeito da clorexidina 0,12% na redução de bactérias viáveis em aerossóis gerados em procedimento de profilaxia. Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial [online]. 2006, v. 11, n. 3 [Acessado 25 Outubro 2022] , pp. 88-92.

Discacciati JAC, Sander HH, Castilho LS, Resende VLS. Verificação da dispersão de respingos durante o trabalho do cirurgião-dentista. Pan Am J Public Health 1998;3:84.

Telles, T. B. da S. (2012). Protocolo de atendimento odontológico ao paciente crítico internado em unidade de terapia intensiva. Repositorio.ufmg.br. https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUBD-9KAQPS

Lúcio PSC, Barreto RC. Emergências médicas no consultório odontológico e a (in) segurança dos profissionais. Rev Bras Ciênc de Saúde. 2012;16(2):267-272.

Dra. Thainara Assumpção em Dentística e Estética
Cirurgião-dentista (CRO/SP 130509) graduada pela UNESP e com especialização em Odontologia Clínica e Estética
Dra. Thainara Assumpção
Últimos posts por Dra. Thainara Assumpção (exibir todos)

Artigos relacionados

Education Template