Autoclave Odontológica saiba como usar

Seguir os protocolos de biossegurança é algo que faz parte do dia a dia do dentista. Sabemos que é fundamental garantir a higienização do consultório e realizar a  esterilização dos instrumentais utilizados para a prevenir doenças.

Mas como fazer a desinfecção correta dos instrumentais odontológicos? Qual a maneira correta de esterilizar os materiais? Como utilizar a autoclave odontológica?

Para realizar a esterilização odontológica é essencial ter conhecimentos sobre desinfecção e ciclos de esterilização, para não acontecer contaminação cruzada e proteger sua saúde e do seu paciente.

Como é feita a esterilização na odontologia?

Como é feita a esterilização na odontologia?

O processo de limpeza e higienização deve ser realizado em um ambiente voltado exclusivamente para a limpeza do instrumental, para evitar contaminações. É fundamental estar paramentado para não se contaminar.

Saiba como é o processo de higienização

  • desinfecção;
  • limpeza e secagem;
  • embalagem;
  • esterilização.

A desinfecção de artigos odontológicos deve ser feita com produtos químicos recomendados pela ANVISA e sempre respeitando a diluição e tempo de imersão recomendados pelo fabricante.

Após a desinfecção, é realizada a limpeza dos instrumentais, com detergente enzimático e escovas de cerdas macias para prevenir perfurações.

A cada dois meses é recomendada a desincrustração dos instrumentais para remover restos de produtos e/ou matéria orgânica, para não prejudicar o processo de esterilização. A secagem deve ser feita logo após o enxágue.

Logo depois da secagem, o material deve ser acondicionado em uma embalagem própria para esterilização.  Nesse sentido, é ideal que se embale-os por kits de procedimentos. Isso otimiza seus atendimento e controla a quantidade de materiais que serão esterilizados.

Igualmente, não podemos esquecer do uso de indicadores químicos para garantir a qualidade da esterilização. Os indicadores avaliam a presença dos parâmetros críticos da esterilização a vapor (tempo, temperatura e presença de vapor) e, após esterilizados, sofrem uma alteração em sua coloração.

Os indicadores biológicos devem ser utilizados semanalmente para testar tanto a viabilidade dos esporos como verificar se a incubadora esta funcionando corretamente.

Após a  realização dos processos de desinfecção, limpeza, secagem e embalagem os instrumentais estão prontos para a esterilização na autoclave odontológica.

Autoclave Odontológica Dental Speed

O que é a autoclave odontológica?

A autoclave é um equipamento metálico, de fecho hermético, indicado para esterilizar artigos e instrumentos termorresistentes embalados e desembalados utilizando vapor saturado sob pressão, oferecendo um procedimento seguro e econômico.

De acordo com a Anvisa, a esterilização de materiais odontológicos é uma norma criada para garantir a eliminação de microorganismos e prevenir contaminações e transmissão de doenças através da contaminação cruzada.

A função da autoclave odontológica é eliminar os microrganismos e  esporos presentes nos instrumentos odontológicos. O processo ocorre através da coagulação das proteínas dos microorganismos, eliminando os mesmos e prevenindo qualquer tipo de contaminação.

O equipamento é  essencial para garantir a segurança dos pacientes e dos profissionais de odontologia.

Existem uma grande variedade de modelos disponíveis no mercado;  os mais indicados para se utilizar em consultórios odontológicos são as autoclaves do tipo B por permitir a esterilização de diferentes tipos de instrumentais utilizados nos procedimentos odontológicos.

As versões para Odontologia apresentam capacidade de até 24 litros, ou seja, quanto maior a capacidade, maior a quantidade de instrumentais serão esterilizados, otimizando seu atendimento clínico.

Desse modo, quando comprar seu equipamento, verifique se adquiriu uma autoclave bloqueada e de acordo com as normas da ABNT e ANVISA. Isso garante que seu equipamento nunca foi usado e  possui as certificações necessárias para realizar uma esterilização eficaz.

Outro fator importante é a rastreabilidade da autoclave. Pois é através desta ferramenta que os fabricantes mapeiam o número de usuários daquela marca e oferecem assistência técnica adequada.

Como funciona a autoclave odontológica?

Para realizar o ciclo de esterilização, é necessário inserir os materiais embalados, ligar o equipamento para atingir a temperatura adequada e desta forma iniciar o ciclo de esterilização. Use sempre água destilada ou filtrada para a obtenção do vapor.

A temperatura varia de 121ºC à 134ºC, de acordo com o modelo adquirido.

A literatura científica recomenda o seguinte tempo x temperatura:

  • 121ºC – 30 min de exposição
  • 134ºC – 15 min de exposição

É importante lembrar que o tempo de exposição não inclui o tempo necessário para atingir a temperatura ideal, tempo de exaustão e tempo de secagem.

Do mesmo modo, é fundamental verificar o tempo recomendado por cada fabricante no manual de instruções.

O processo inclui ciclos de compressão e de descompressão de forma a facilitar o contato entre o vapor e os materiais contaminados.

Após finalizar o processo, é necessário ter alguns cuidados com o armazenamento do instrumental, para não invalidar a esterilização dos instrumentais.

Segundo a ANVISA, os materiais esterilizados devem ser armazenados em gavetas, prateleiras fechadas ou caixas plásticas, tomando os devidos cuidados para não danificar os pacotes. Por isso, é fundamental manter a organização no consultório odontológico.

Além disso, a ANVISA diz que o dentista deve realizar o registro da monitorização da esterilização e ficar atento ao prazo de validade do processo de esterilização, que é de sete dias.

Após a utilização do instrumental esterilizado, a embalagem que o acondicionava deve ser descartada.

Estas são algumas das  principais dúvidas dos dentistas em relação à esterilização.

Autoclaves Cristófoli

Em primeiro lugar, é importante esclarecer que nem todas as autoclaves são iguais. Embora tenham o mesmo uso pretendido, algumas realizam o trabalho com mais eficiência do que outras.

É o caso da nova geração de autoclaves Cristófoli Vitale Class e Vitale Class CD, que possuem um sistema inteligente de gestão de energia com um tempo estável de ciclo. São muitas vantagens, por isso vou listar algumas características e explicar o que isso significa para você.

Conheça sobre a Vitale Classe CD:

  • Seca com porta fechada;
  • Alerta sonoro, otimizando o tempo do auxiliar responsável pela esterilização que não precisa entreabrir a porta para conferir o processo;
  • Secagem ultra eficiente;
  • Vapor liberado exclusivamente pelo dreno, diminuindo o calor produzido na sala de esterilização;
  • Dispositivos elétricos eletrônicos para subtensão e sobretensão e software de gestão elétrica de potência e análise de rede, permitindo que os ciclos funcionam sem apresentar falhas mesmo diante um certo grau de variação da rede.
  • Tampa com sistema exclusivo estampado em aço inox, permitindo maior tempo de vida útil e maior segurança da porta;
  • Contagem de ciclos, um outro parâmetro para avaliar a necessidade de manutenção;
  • Alertas periódicos para realização das manutenções preventivas, reduzindo a necessidade de manutenções corretivas;
  • Sistema de diagnóstico inteligente, permitindo maior agilidade no atendimento e maior precisão na avaliação durante a manutenção;
  • Gestão inteligente de controle de pressão e temperatura que garante o padrão normativo de esterilização. Isso dá maior segurança ao processo por causa da menor variedade dos parâmetros, permitindo menor chance de falhas na esterilização;
  • 5 ciclos para você escolher otimizando o tempo do equipamento, garantindo penetração em pacotes mais volumosos e aumentando a vida útil de materiais mais frágeis.

Aqui na Dental Speed você encontra uma grande variedade de marcas e modelos de autoclaves odontológicas, escolhendo a capacidade mais indicada para sua necessidade!

Você tem alguma dúvida que não citamos aqui? Escreva nos comentários!

equipamentos para seu consultório odontológico
Cirurgiã-dentista em Blog Dental Speed
Cirurgiã-dentista pela Universidade Paulista (UNIP), especialista em endodontia pelo Hospital Geral do Exército de São Paulo (HGESP) e especialista em marketing pela Universidade Mackenzie.
Dra. Fernanda Skupien
Últimos posts por Dra. Fernanda Skupien (exibir todos)

Artigos relacionados

Infecções Fúngicas na Odontologia

Infecções Fúngicas na Odontologia

Artigos mais lidos
Confira as principais infecções fúngicas que acometem a cavidade bucal – Candidíase (sapinho), Paracoccidioidomicose e Histoplasmose – e a importância do cirurgião-dentista para o diagnóstico precoce, tratamento e encaminhamento médico.

Education Template