Dia 4 de janeiro é considerado o Dia do Hemofílico. Essa data foi criada com o intuito de chamar a atenção para uma doença genética chamada Hemofilia.

Sendo uma coagulopatia hereditária, a hemofilia é caracterizada pela deficiência na coagulação do sangue. Neste caso, pacientes hemofílicos costumam apresentar sangramentos prolongados, principalmente após procedimentos cirúrgicos ou traumas na mucosa. Por isso, é importante que Cirurgiões-Dentistas estejam preparados para atender pacientes com estas condições.

Anamnese e identificação da doença

A abordagem em pacientes com hemofilia é a mesma que para qualquer outro paciente, por isso a anamnese completa é fundamental para identificação da doença, bem como histórico familiar e informações prévias sobre sangramentos. Essas informações serão muito importantes, pois auxiliarão na escolha do tratamento do paciente.

Caso o paciente não tenha conhecimento da doença, mas o profissional desconfie de algo, indica-se solicitar exames de sangue complementares, como hemograma e coagulograma. Em caso de confirmação da doença o paciente deve ser encaminhado para um Hematologista imediatamente.

Aqui no blog você pode conferir uma matéria sobre “Como entender exames de sangue na Odontologia”.  Clique e saiba mais!

 

higiene oral

Higiene oral e prevenção

Outro ponto muito importante para pacientes com hemofilia é a higiene bucal. É muito comum que pacientes hemofílicos negligenciem a saúde bucal, evitando idas a dentistas e o uso de fio dental e escovação, tudo isso por medo de sangramentos.

No entanto, isso se torna um fator de risco para cáries, gengivites e periodontites. Logo, é importante que cirurgiões-dentistas façam um acompanhamento contínuo do paciente, bem como a educação oral continuada de pacientes portadores da doença, evitando assim casos extremos.

Procedimentos invasivos

Dependendo do caso clínico, indica-se também que o Cirurgião-Dentista entre em contato com o hematologista ou médico responsável pelo paciente, assim é possível discutir os tipos de tratamento mais indicados e seguros.

Isso se dá principalmente em casos de cirurgias e procedimentos mais invasivos, onde se faz necessária uma preparação para o procedimento. Neste caso o hematologista prescreverá a reposição do fator de coagulação.

 Cuidados adicionais:

Segundo a literatura também é preciso ter atenção quanto ao uso de alguns materiais odontológicos:

  • Indica-se isolamento absoluto para proteção dos tecidos e afastamento de lábios, bochechas e língua;
  • Cuidado ao utilizar sugadores de saliva e bomba à vácuo, pois podem ferir a mucosa
  • Cuidado ao utilizar grampos, matrizes e cunhas de madeira;
  • Sempre que possível evitar anestesia troncular e dar preferência a anestesias infiltrativas;
  • Cuidados com o vácuo durante moldagens para confecção de próteses;
  • Cuidado durante o raio-X periapical, sendo necessária a proteção das bordas da película radiográfica, principalmente em radiografias de região mandibular;

Equipe Dental Speed

Fontes:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_odontologico_coagulopatias_hereditarias.pdf
http://www.apcd.org.br/index.php/noticias/269/08-09-2016/hemofilia-saiba-mais-sobre-os-cuidados-odontologicos-aos-pacientes
http://revodonto.bvsalud.org/pdf/aodo/v46n3/a08v46n3.pdf

Artigos Relacionados