Atendimento odontológico de pacientes hemofílicos

EspecialidadesOdontologia

Dia 4 de janeiro é considerado o Dia do Hemofílico. Essa data foi criada com o intuito de chamar a atenção para uma doença genética chamada Hemofilia.

Sendo uma coagulopatia hereditária, a hemofilia é caracterizada pela deficiência na coagulação do sangue. Neste caso, pacientes hemofílicos costumam apresentar sangramentos prolongados, principalmente após procedimentos cirúrgicos ou traumas na mucosa. Por isso, é importante que Cirurgiões-Dentistas estejam preparados para atender pacientes com estas condições.

Anamnese e identificação da doença

A abordagem em pacientes com hemofilia é a mesma que para qualquer outro paciente, por isso a anamnese completa é fundamental para identificação da doença, bem como histórico familiar e informações prévias sobre sangramentos. Essas informações serão muito importantes, pois auxiliarão na escolha do tratamento do paciente.

Caso o paciente não tenha conhecimento da doença, mas o profissional desconfie de algo, indica-se solicitar exames de sangue complementares, como hemograma e coagulograma. Em caso de confirmação da doença o paciente deve ser encaminhado para um Hematologista imediatamente.

Aqui no blog você pode conferir uma matéria sobre “Como entender exames de sangue na Odontologia”.  Clique e saiba mais!

Higiene oral e prevenção

Outro ponto muito importante para pacientes com hemofilia é a higiene bucal. É muito comum que pacientes hemofílicos negligenciem a saúde bucal, evitando idas a dentistas e o uso de fio dental e escovação, tudo isso por medo de sangramentos.

No entanto, isso se torna um fator de risco para cáries, gengivites e periodontites. Logo, é importante que cirurgiões-dentistas façam um acompanhamento contínuo do paciente, bem como a educação oral continuada de pacientes portadores da doença, evitando assim casos extremos.

Procedimentos invasivos

Dependendo do caso clínico, indica-se também que o Cirurgião-Dentista entre em contato com o hematologista ou médico responsável pelo paciente, assim é possível discutir os tipos de tratamento mais indicados e seguros.

Isso se dá principalmente em casos de cirurgias e procedimentos mais invasivos, onde se faz necessária uma preparação para o procedimento. Neste caso o hematologista prescreverá a reposição do fator de coagulação.

 Cuidados adicionais:

Segundo a literatura também é preciso ter atenção quanto ao uso de alguns materiais odontológicos:

  • Indica-se isolamento absoluto para proteção dos tecidos e afastamento de lábios, bochechas e língua;
  • Cuidado ao utilizar sugadores de saliva e bomba à vácuo, pois podem ferir a mucosa
  • Cuidado ao utilizar grampos, matrizes e cunhas de madeira;
  • Sempre que possível evitar anestesia troncular e dar preferência a anestesias infiltrativas;
  • Cuidados com o vácuo durante moldagens para confecção de próteses;
  • Cuidado durante o raio-X periapical, necessária a proteção das bordas da película radiográfica, principalmente em radiografias de região mandibular;
Fontes:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_odontologico_coagulopatias_hereditarias.pdf

http://www.apcd.org.br/index.php/noticias/269/08-09-2016/hemofilia-saiba-mais-sobre-os-cuidados-odontologicos-aos-pacientes

http://revodonto.bvsalud.org/pdf/aodo/v46n3/a08v46n3.pdf

Redatora em Blog Dental Speed
Formada em Administração pela Estácio, especialista em Marketing e redação técnica na área odontológica.
Gabrielli Nery Wandscheer
Últimos posts por Gabrielli Nery Wandscheer (exibir todos)

Artigos relacionados

Infecções Fúngicas na Odontologia

Infecções Fúngicas na Odontologia

Artigos mais lidos
Confira as principais infecções fúngicas que acometem a cavidade bucal – Candidíase (sapinho), Paracoccidioidomicose e Histoplasmose – e a importância do cirurgião-dentista para o diagnóstico precoce, tratamento e encaminhamento médico.

Education Template