Você sabia que os profissionais de odontologia são mais suscetíveis às doenças ocupacionais e posturais? Isso acontece devido à rotina do profissional e à sua postura durante o trabalho. Por causa disso, é importante conhecer e aplicar as boas práticas de ergonomia para garantir uma vida mais saudável dentro e fora do consultório odontológico. Vamos entender as causas mais comuns das doenças ocupacionais e como adotar hábitos ergonômicos no seu dia a dia?

O que é ergonomia?

Ergonomia é a ciência responsável por proporcionar aos trabalhadores o conforto no ambiente de trabalho, além de atuar na prevenção de acidentes e doenças relacionadas às atividades exercidas na profissão.

Ou seja, é um conjunto de ações e princípios que visam melhorar o desempenho do profissional durante o exercício laboral, preservando a sua saúde física e mental por meio de práticas saudáveis.

A ergonomia se aplica em todas as profissões existentes e não poderia ser diferente na Odontologia, uma ocupação que exige que o profissional permaneça durante longos períodos em posições desconfortáveis e realize tarefas repetidamente.

Assim, o cirurgião-dentista está sempre suscetível às lesões por esforço repetitivo, como dores, formigamento, má circulação e outros desconfortos. Leia matéria completa sobre “como dentistas podem prevenir doenças circulatórias?”.

Cartaz Dicas de Ergonomia Dental Speed

O que é ergonomia na Odontologia?

A ergonomia na Odontologia pode ser definida como medidas ocupacionais para diminuir o estresse físico e mental no atendimento clínico, prevenindo doenças relacionadas à profissão.

Alguns fatores que influenciam na predisposição às doenças ocupacionais são:

  • jornada longa de trabalho;
  • pouco intervalo entre os atendimentos;
  • postura inadequada;
  • movimentos repetitivos;
  • influência do mobiliário odontológico.

Como consequência desses fatores, há sobrecarga nos ombros, na coluna cervical e também nos membros superiores. As consequências são os vários distúrbios ortopédicos e também posturais adquiridos ao longo do tempo.

Visto que profissionais de odontologia permanecem na mesma posição durante um longo período, realizam movimentos repetitivos e sentem dores na coluna e nos membros superiores por causa disso, é fácil perceber que não só a sua saúde é afetada, mas também a sua produtividade.

Por isso, é muito importante aplicar a ergonomia no dia a dia. A ergonomia odontológica auxilia na manutenção da produtividade e na redução de problemas de saúde durante o exercício da profissão.

Assim, o cirurgião-dentista evita lesões por esforço repetitivo (LER) e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT), fica protegido de dores e outros desconfortos musculares e consegue atender o seu paciente com mais qualidade e melhor resultado.

Quais objetivos da ergonomia na Odontologia?

A ergonomia na odontologia tem o objetivo principal de garantir ao cirurgião-dentista a execução segura de suas tarefas dentro do consultório. Ou seja, proporcionar a ele uma prática mais saudável de suas funções.

A ergonomia, em geral, visualiza o indivíduo como um agente fundamental e necessário dentro das ocupações de trabalho. Para isso, ele precisa estar com sua saúde em boas condições para oferecer o melhor de si dentro da profissão.

A valorização do profissional é determinante nos princípios da ergonomia, pois reconhece como crucial a modificação de práticas antigas não só para aperfeiçoar o serviço prestado, mas, principalmente, garantir o bem-estar do cirurgião-dentista.

Assim, podemos listar alguns objetivos básicos da ergonomia na odontologia:

  1. Criação e aperfeiçoamento de ferramentas e instrumentos de trabalho utilizados durante os procedimentos realizados;
  2. Melhoria de processos desempenhados ao longo dos procedimentos, também com o objetivo de evitar lesões por práticas inadequadas;
  3. Criação e ajuste do mobiliário utilizado pelo profissional durante as consultas com o objetivo de tornar o trabalho o mais confortável possível, sem comprometer a produtividade;
  4. Capacitação do profissional por meio de estudo e conhecimento acerca da importância da ergonomia para o seu ofício, uma medida que reduz bastante os índices das doenças ocupacionais;
  5. A identificação dos problemas posturais desenvolvidos durante a prática laboral e sua respectiva correção. Esta deve ser realizada pelo próprio cirurgião-dentista com a ajuda de outros profissionais, como fisioterapeutas, por exemplo.
Equipamentos & Peças de Mão dental speed

Quais são os riscos ergonômicos para o dentista?

A falta de cuidado com a ergonomia no consultório faz com que o cirurgião-dentista esteja mais exposto às inúmeras doenças ocupacionais e posturais existentes.

Assim, o profissional pode relatar quadros de:

  • dor em regiões específicas do corpo, como cabeça, coluna e membros inferiores e superiores;
  • cansaço excessivo, especialmente na região das pernas;
  • surgimento de varizes e outras alterações de ordem vascular e circulatória, etc.

Doenças posturais e ocupacionais relacionadas à ergonomia

As doenças ocupacionais são aquelas relacionadas ao trabalho desempenhado pelo profissional durante a execução do seu ofício. Podem ser causadas por má iluminação, exposição a cheiros, ruídos, uso de determinadas ferramentas ou realização de determinada atividade com frequência, por exemplo.

Principais doenças ocupacionais do cirurgião-dentista

As doenças ocupacionais mais comuns entre os dentistas são as Lesões por Esforço Repetitivo (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), que são as patologias encontradas na região da coluna cervical, cintura escapular e membros superiores.

Tais enfermidades atingem músculos, fáscias, sinóvias, tendões, nervos e ligamentos, de forma isolada ou combinada. Dessa forma, as regiões mais atingidas são a coluna cervical, a coluna dorsal e os membros superiores.

A postura adotada pelo dentista nos atendimentos é com a coluna cervical e a torácica em flexão, deixando a lombar muitas vezes sem apoio, além de realizar a rotação do tronco. Com isso, todos esses fatores, associados a um longo período na mesma posição, contribuem para o surgimento das lesões.

Outras doenças ocupacionais igualmente comuns na odontologia são:

  • Tendinite;
  • Bursite;
  • Epicondilite;
  • Síndrome do túnel do carpo e ulnar;
  • Ombro doloroso;
  • Síndrome cervical;
  • Hérnia Cervical;
  • Cervicobraquialgia.

Principais doenças posturais do cirurgião-dentista

São consideradas doenças posturais aquelas causadas, basicamente, pela má postura. Dentre as mais comuns, podemos citar:

  • dor de cabeça;
  • Escoliose;
  • dor na região lombar;
  • Hiperlordose lombar;
  • Hipercifose.

As doenças circulatórias também são consequências comuns da falta de ergonomia na odontologia. Por ficar muito tempo em pé, o profissional se depara com quadros severos de má circulação sanguínea, uma vez que o sangue das pernas não consegue seguir o seu fluxo natural, de baixo para cima.

Como consequência, temos pernas cansadas, surgimento de varizes e vasinhos, inchaço e formação de trombos.

Os trombos são pequenos coágulos de sangue que, ao se desprenderem, podem chegar aos órgãos como  cérebro e pulmão, causando complicações graves, como as embolias.

Devido a todas essas situações, o dentista deve organizar a sua rotina de trabalho seguindo todas as boas práticas ergonômicas. Além de ficar atento às correções posturais, é recomendado praticar atividades físicas para evitar lesões, ter maior rendimento e mais qualidade de vida.

Como prevenir as doenças ocupacionais e posturais na odontologia?

A melhor maneira de prevenir a incidência das doenças ocupacionais e posturais é incluir na rotina todas as orientações de ergonomia na odontologia, sobre as quais falaremos logo a seguir. Desta forma, conseguimos agir de maneira preventiva, evitando as lesões, e não apenas corretiva, tratando as doenças.

Além disso, é fundamental a prática regular de atividade física, especialmente aquela que estimula o funcionamento da panturrilha. A panturrilha é responsável pelo bombeamento do sangue na região dos membros inferiores.

É ela que faz com que o sangue circule de forma ascendente, de baixo para cima. Por isso, deve ser estimulada com a prática frequente de caminhadas, corridas e outros exercícios aeróbicos e musculares.

Seguindo essas orientações, o cirurgião-dentista consegue fortalecer sua estrutura óssea e muscular e proteger sua coluna lombar, cervical e membros superiores e inferiores da incidência de doenças diversas já citadas.

Medidas de prevenção de doenças com a ergonomia

O dentista pode prevenir a LER/DORT  e os outros problemas ocupacionais e posturais seguindo as dicas a seguir:

Em primeiro lugar, ajustar o mobiliário

  • as bancadas de trabalho devem permitir que o corpo trabalhe na posição vertical, sem curvar o tronco e sem elevar os membros superiores;
  • organizar e adaptar os móveis de forma que eles possibilitem posições ergonômicas, sem atrapalhar a atividade desempenhada;
  • escolher equipamentos ergonomicamente adequados ou ajustar o que for possível.

Além disso, corrigir a postura

  • adotar postura ergonomicamente correta;
  • alternar procedimentos que precisam de maior e menor esforço;
  • evitar ficar em posição estática por muito tempo;
  • evitar movimentos repetitivos;
  • realizar procedimentos sem flexionar a coluna vertebral para frente;
  • executar procedimentos em posição próxima à altura do cotovelo.

Do mesmo modo, adquirir hábitos diários

  • Realizar pequenas pausas entre os procedimentos para descansar

Os intervalos entre os procedimentos aliviam a tensão muscular e previnem a dor, também servindo como um momento de descanso, necessário ao profissional e à manutenção da sua saúde.

  • Realizar alongamentos antes e depois dos procedimentos ou, ao menos, em um intervalo maior entre eles;
  • Adotar exercícios da ginástica laboral para fortalecimento do corpo;

Os exercícios de alongamento e de ginástica laboral favorecem a flexibilidade das articulações dos ombros, cotovelos, punhos e mãos, tornando-as menos suscetíveis às lesões.

  • Uso de estabilizador de polegar para imobilizar a região e aliviar as dores;
  • Uso de estabilizador de punho também com o objetivo de evitar movimentos repetitivos na região e atenuar desconfortos;

Os estabilizadores de punho e de polegar também previnem e tratam lesões, além de auxiliar no equilíbrio muscular.

Você conhece a Odontologia lateral? Leia a matéria completa sobre o tema e veja como esse método associada ao uso de uma cama odontológica pode trazer benefícios ergonômicos e melhorar a experiência de atendimento para ambos os lados.

eBook sobre odontologia lateral para baixar na dental speed

Conheça um pouco mais sobre os estabilizadores de punho e de polegar

Estabilizador de Polegar Actimove RhizoForte:

Realiza a imobilização do polegar sem restringir os movimentos do punho e demais dedos.

É indicado para:

  • Instabilidades ligamentares;
  • Osteoartrose do polegar;
  • Lesões do ligamento colateral ulnar;
  • Artrite reumatóide.

Estabilizador de Punho Actimove ManuMotion:

Realiza a estabilização do punho em posição anatômica.

É indicado para:

  • Distorções;
  • Artrite;
  • Artrose;
  • Tenossinovite.

Quais condições para um trabalho ergonômico na Odontologia? Principais normas e diretrizes:

As normas e diretrizes da ergonomia na odontologia orientam a execução do trabalho do cirurgião-dentista com a adoção de alguns cuidados, tais como:

Postura ideal

As costas do profissional devem ficar eretas, apoiadas sobre a parte superior dos ossos da bacia. A postura deve ser confortável, sem pressionar o corpo e nem limitar movimentos.  O tronco pode inclinar-se para frente até uma variação de 20°, mas as inclinações laterais devem ser evitadas.

Ajuste no mocho

O profissional deve sentar-se no mocho, permanecendo o mais ereto possível, com os membros inferiores formando um ângulo de 115° com o solo. Enquanto isso, os membros superiores devem permanecer a 25° de curvatura sobre a cabeça do paciente.

Iluminação

O feixe de luz deve estar posicionado de forma que não cause sombras. Para isso, a luminária deve estar paralela à direção de observação e deve ter três eixos ortogonais, permitindo a sua livre movimentação. Além disso, todo o consultório deve ter uma iluminação artificial, uniforme e difusa.

Tamanho do consultório

Um consultório de, pelo menos, 9 m² é o ideal para que o profissional possa instalar todos os móveis e também se movimentar de forma confortável, junto com seu auxiliar.

Disposição dos móveis

A organização dos móveis deve ser feita com foco na praticidade e na facilitação do trabalho do profissional e do seu auxiliar e no melhor aproveitamento da luz. Então, mais do que pensar na estética, deve-se pensar no aumento da performance do trabalho e na saúde do cirurgião-dentista.

Como realizar trabalho a 4 mãos e ergonômico

O trabalho a 4 mãos é aquele desempenhado pelo cirurgião-dentista e também pelo seu auxiliar. O objetivo é reduzir o tempo de execução de cada procedimento e também diminuir a fadiga e o estresse nos dois profissionais.

Trazendo para o âmbito da ergonomia, é importante que o cirurgião-dentista oriente o seu auxiliar a permanecer presente e ativo em todas as sequências dos procedimentos e não apenas em alguns momentos específicos.

Com isso, ambos conseguem realizar um trabalho com mais rapidez, sem sobrecarga de trabalho e sem sobrecarregar também a saúde física e mental.

Quais são os exercícios físicos ideais para os cirurgiões-dentistas no ambiente de trabalho?

O alongamento é o melhor exercício que o cirurgião-dentista pode realizar dentro do ambiente de trabalho. São medidas que aumentam a circulação, previnem e reduzem dores, fortalecem os ossos e músculos e ajudam o corpo a descansar.

Alongar os braços

Erga os braços acima da cabeça, entrelace as mãos e permaneça nessa posição por alguns segundos.

Alongar o peitoral

Lance os braços para trás, entrelace as mãos e estufe o peito. Permaneça assim por alguns segundos.

Alongar o pescoço

Use a mão direita para puxar a cabeça para o lado, ficando nesta posição por alguns segundos. Repita o processo com a outra mão.

Alongar as laterais

Sentado, movimente o tronco para o lado, sem movimentar o quadril. Repita o movimento com o lado oposto.

Alongar a lombar

Sentado, debruce o corpo sobre as pernas até encostar o abdômen nas coxas. Fique assim por alguns segundos e retorne à posição inicial.

Além desses, confira outros exercícios laborais para cirurgiões-dentistas que a Dental Speed preparou:

Como vimos até aqui, a ergonomia é essencial para a saúde e o bem-estar do cirurgião-dentista. Não executar práticas ergonômicas na rotina do consultório pode comprometer a sua qualidade de vida, gerando dores e baixo rendimento.

As doenças ocupacionais e posturais na odontologia são doenças comuns, mas que podem ser evitadas com a adoção de protocolos preventivos.

Para isso, é necessário realizar uma boa escolha de equipamentos e disposição de mobiliários, ter cuidados ergonômicos em relação à postura de atendimento clínico e realizar a mudança de hábitos diários, que inclui atividades físicas e uso de estabilizadores de punho e polegar.

Quer saber mais sobre ergonomia na odontologia? Escreva suas dúvidas nos comentários. Vamos adorar conversar com você!

instrumentais para dia a dia do consultório odontológico na dental speed
Cirurgiã-dentista em Blog Dental Speed
Cirurgiã-dentista pela Universidade Paulista (UNIP), especialista em endodontia pelo Hospital Geral do Exército de São Paulo (HGESP) e especialista em marketing pela Universidade Mackenzie.
Dra. Fernanda Skupien
Últimos posts por Dra. Fernanda Skupien (exibir todos)

Artigos relacionados

Quem somos – Dental Speed

Quem somos – Dental Speed

Institucional
Conheça um pouco da nossa história e descubra o que está por trás de uma marca apaixonada pela odontologia e que cresce dia após dia.

Education Template