Dieta Cariogênica na Odontopediatria

Odontopediatria

Dieta Cariogênica

A dieta influencia diretamente na saúde do corpo todo, inclusive na saúde bucal.  

No caso de crianças, isso não seria diferente. Uma alimentação saudável e balanceada é fator fundamental para a nutrição dos pequenos, bem como para estabelecer uma condição bucal favorável.  

Quando pensamos em dieta cariogênica e maus hábitos na alimentação infantil, logo vem o ponto que os odontopediatras mais observam no consultório: a cárie precoce da infância.  

Tratando-se de uma etiologia multifatorial, a cárie da primeira infância envolve diversas medidas de prevenção, sendo papel da odontopediatria de principalmente orientar os pais e/ou responsáveis sobre os cuidados com a dieta e consumo de açucares e a importância da higiene oral para redução dos riscos de cárie precoce. 

No artigo a seguir, você vai conferir mais informações sobre a cárie dentária em crianças, a relação da saúde bucal com a alimentação e as principais medidas de prevenção que devem ser incentivadas pelos odontopediatras. 

Cárie Dentária  

A cárie é uma doença que afeta não só o aspecto estético dos dentes e de toda a região bucal, mas atrapalha também a autoestima do indivíduo, independente da faixa etária.

A cárie implica em dor, perda de dentes, atrapalha a mastigação, atrasa os processos de fala e linguagem, reduz o rendimento escolar, provoca distúrbios do sono e afeta o comportamento social da criança. 

O distúrbio também pode ser definido como uma desmineralização dentária em decorrência de uma dieta rica em alimentos cariogênicos e escovação ineficaz, além da ação de microrganismos.  

É considerada uma doença crônica, que evolui com o passar do tempo e de forma lenta, alterando a composição física do dente por meio da desmineralização da sua camada externa, o chamado esmalte dental.  

Com a progressão da lesão, pode atingir camadas mais internas como dentina e polpa dentária. 

Verniz de Flúor Duraphat Colgate

O desenvolvimento da cárie dentária 

A desmineralização do esmalte dental é decorrente da ação dos ácidos liberados pela fermentação de bactérias após a ingestão de alimentos específicos, como aqueles que são ricos em açúcar, por exemplo. 

Por ser um problema crônico, a cárie aumenta de forma progressiva, causando danos severos à arcada dentária que, se não forem tratados a tempo, podem ser irreversíveis, levando à perda definitiva do dente. 

Fatores predisponentes da cárie 

Os fatores predisponentes, também chamados de fatores de risco ou de vulnerabilidade, são aqueles que facilitam a instalação da doença. Em relação à cárie, as bactérias são os fatores predisponentes e a presença delas já favorece o surgimento do problema. 

Isso quer dizer que as alterações no biofilme dental são o que determinam o começo da cárie dentária. Por isso, é de extrema importância a realização da higiene bucal correta, para uma completa remoção da placa bacteriana.  

Microrganismos causadores da cárie 

O biofilme possui papel fundamental no surgimento e progressão das lesões cariosas. De tal forma que diversos microrganismos estão envolvidos nesse processo.  

As principais bactérias envolvidas atuam no metabolismo dos carboidratos produzindo ácidos, que são capazes de reduzir o pH do meio e, em seguida, promover a desmineralização do esmalte, surgindo então lesões cariosas.  

Os Streptococcus do grupo mutans são reconhecidos como principais microrganismos responsáveis pelo início da doença por serem acidogênicos. 

Relação da saúde bucal com a alimentação 

A alimentação é um fator que influencia diretamente no surgimento da cárie não só em adultos, mas principalmente em crianças, que são mais resistentes à escovação correta dos dentes. 

A dieta é um fator determinante para o início de lesões cariosas, sendo a sacarose, glicose, frutose e amido os principais carboidratos fermentáveis.  

A relação entre a ingestão de açúcar e o desenvolvimento da doença leva em consideração alguns fatores como: 

  1. tipo de açúcar ingerido;
  2. frequência; 
  3. quantidade; 
  4. higienização após o consumo. 

Esses hábitos alimentares pouco saudáveis são reproduzidos constantemente, estimulados pelo estilo de vida corrido da sociedade, o que afeta drasticamente a forma como o público infantil se alimenta em todos os ambientes que frequenta. 

Prevenção de desenvolvimento de cáries 

Como vimos, a dieta cariogênica é a principal causa das lesões cariosas, com o auxílio da escovação irregular. Portanto, as dicas de prevenção envolvem basicamente esses dois aspectos, como veremos a seguir: 

  • evitar o consumo de alimentos potencialmente cariogênicos, deixando para ingeri-los em situações específicas e escovando os dentes logo em seguida; 
  • escovar os dentes, pelo menos, três vezes ao dia, fazendo uma higienização correta da região, sem esquecer de trocar a escova a cada três meses; 
  • usar fio dental antes da escovação para evitar a formação da placa bacteriana entre os dentes e na região próxima à gengiva; 
  • reduzir o consumo de alimentos ácidos e cítricos, como vinagre, picles e algumas frutas que ajudam a desmineralizar o dente; 
  • ingerir bastante água, alimento que estimula a produção salivar e que também é essencial para o combate à cárie; 
  • visitar o dentista regularmente.  Para identificar a presença da placa bacteriana, analisar o risco de desenvolvimento de cárie e orientar o paciente da melhor forma possível. 
Escova Dental Elétrica Colgateem Oferta Dental Speed

Prevenção de Cárie na Odontopediatria 

O papel do odontopediatra é fundamental na prevenção da cárie, a partir da orientação de pais e filhos a respeito de uma dieta mais saudável, higienização correta da região bucal e idas frequentes ao consultório para utilização tópica de flúor e profilaxia. 

Quando a doença já estiver instalada o profissional deverá decidir a melhor forma de tratar, seja fazendo o uso de verniz, ou até mesmo já iniciando o tratamento restaurador, de acordo com o caso clínico individual. 

10 passos para uma dieta saudável para crianças 

Pensando na orientação quanto à dieta na infância, dez passos foram estabelecidos pelo Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde e Sociedade Brasileira de Pediatria. Seguir estes dez passos auxilia em bom desenvolvimento e crescimento infantil. 

Você pode acessar essas e outras orientações importantes diretamente pelo site do Ministério da Saúde, ou no livro “Manual de Odontopediatra” do McDonald & Avery, p152. 

Os 10 passos são: 

  • oferecer somente leite materno até os 6 meses de vida da criança, sem oferecer água, chás ou quaisquer outros alimentos; 
  • a partir dos 6 meses, introduzir de maneira lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os 2 anos ou mais; 
  • após os 6 meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas e legumes), três vezes ao dia, se a criança receber leite materno, e cinco vezes ao dia, se estiver desmamada; 
  • a alimentação complementar deverá ser oferecida sem a rigidez de horários, respeitando sempre a vontade da criança; 
  • a alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida com colher, começar com consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até chegar ao ponto da alimentação da família; 
  • oferecer à criança diferentes alimentos no decorrer do dia. Uma alimentação variada é também uma alimentação colorida; 
  • Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições; 
  • Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida.  
  • Usar sal com moderação; 
  • Cuidar da higiene no preparo e no manuseio dos alimentos, e garantir o armazenamento e a conservação adequados; 
  • Estimular a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo suas refeições habituais e os alimentos preferidos, respeitando sua aceitação. 

Ainda, segundo escritora Ellen G White no livro Orientação da Criança: 

“A felicidade futura de vossa família e o bem-estar da sociedade dependem, em grande parte, da educação física, da saúde e moral que vossos filhos recebam nos primeiros anos de vida.” 

Portanto, equilibrar os hábitos nos primeiros anos de vida é muito importante para a saúde física e mental das crianças. 

Os hábitos, por sua vez, são desenvolvidos com atitudes corretas. Enquanto uma criança não “provar” o açúcar, ela não irá sentir falta! 

Não podemos esquecer que “criança é criança” e privá-los de tudo também não é saudável, mas acredito que as principais medidas que devem ser ensinadas são: 

  • Ter ponderação na dieta da criança; 
  • Orientar um consumo inteligente de açúcar; 
  • Realizar a escovação e higienização dos dentes após as refeições e principalmente antes de dormir com creme dental fluoretado segundo a Associação Brasileira de odontopediatria

Seguindo todos os cuidados citados, as crianças poderão desfrutar de um crescimento saudável em todos os aspectos, com dentes fortes e autoestima garantida. 

Melhores ofertas em Odontopediatria

Por fim, se você quer conferir mais conteúdos relacionados à odontopediatria, acesse aqui a nossa seleção especial de matérias sobre o tema. 

Aproveite para avaliar e compartilhar os conteúdos do Eu Amo Odonto! 

Até a próxima. 

Editora e Redatora em Blog Dental Speed
Formada em Design Industrial pela Univille, com especialização pela ESPM. Analista de Produção de Conteúdo, Social Media com foco em conteúdo na área odontológica desde 2015.
Isabelle Buzzi
Últimos posts por Isabelle Buzzi (exibir todos)

Artigos relacionados

Compressor de ar odontológico: como escolher

Compressor de ar odontológico: como escolher

Odontologia
Está em dúvida sobre qual compressor escolher? Veja como escolher o compressor de ar ideal para o seu consultório e quais cuidados necessários você deve adotar para garantir uma maior vida útil do seu equipamento!

Education Template