Como escolher o Fotopolimerizador ideal?

Especialidades

O Fotopolimerizador é um periférico essencial para os dentistas, pois está presente em diversas áreas como dentística, prótese, ortodontia, endodontia, periodontia, entre outros. É utilizado para colagem de bráquetes, clareamentos dentários, em restaurações diretas e indiretas, na fotoativação de cimentos e materiais restauradores. 

Isso faz com que o uso de um fotopolimerizador eficiente seja um fator importante para um trabalho de qualidade nesta área. Uma correta polimerização é fundamental para a longevidade das restaurações, em outras palavras, de nada adianta utilizar bons materiais e realizar um trabalho cuidadoso, se ele acabar sendo comprometido por uma fotoativação ineficiente. 

Para que isso não ocorra, a melhor opção é investir em um bom aparelho fotopolimerizador.  Logo, existem alguns fatores que precisam ser avaliados antes de escolher o produto ideal. 

 

Intensidade de luz / Potência e Colimação 

A intensidade da luz de LED emitida pelo fotopolimerizador é muito importante para a longevidade clínica dos procedimentos realizados, no entanto, é importante salientar que devido às diversas opções de uso do aparelho, a potência da luz LED deve variar de acordo com cada situação. 

Alguns procedimentos exigem que a luz incida diretamente o material restaurador, é o exemplo de restaurações diretas e barreiras gengivais, já outros, exigem que a luz atravesse o material, como lâminas de porcelana e coroas cerâmicas, por exemplo. Uma vez que parte da energia que será emitida pelo fotopolimerizador será atenuada pela camada do material restaurador, é necessário que exista uma colimação desta luz para garantir que ela chegue até mesmo às camadas mais profundas da restauração e fotoative todo o material. 

Do mesmo modo, não existe uma regra sobre qual é a energia que deve ser aplicada, pois isso varia de acordo com a composição, cor, translucidez e especificações de cada material restaurador, no entanto, pode-se considerar que um fotopolimerizador deve ter o mínimo 700 mW/cm2 (milliwatts por cm2). 

O Valo da UltradentBluephase da IvoclarElipar da 3M e Radii da SDI são exemplos de fotopolimerizadores com uma ótima potência e variam entre min. 1000 – 1600 mW/cm2 (milliwatts por cm2) ou superior. 

Tempos Predefinidos e Programas de Polimerização 

O tempo de exposição da luz é importante para o processo, pois é ele que define se a resina foi fotoativada de forma correta. Logo, muitos do fotopolimerizadores disponíveis no mercado possuem tecnologia com tempos de exposição da luz pré-definidos que costumam variar de 5 segundos até 40 segundos.

Se tratando de programas de polimerização, alguns modelos podem dispor de modo “Ramp” ou “Rampa, onde a intensidade da luz aumenta gradativamente. Do mesmo modo, alguns modelos possuem funções especiais para ortodontia, onde otimizam, por exemplo, o tempo de colagem de bráquetes. Antes de definir o produto, é importante entender qual é a real necessidade do produto no seu dia a dia clínico, deste modo, fica mais fácil escolher o fotopolimerizador ideal.

Ergonomia 

Uma vez que a ergonomia é um aspecto importante na escolha do fotopolimerizador para, principalmente, garantir o conforto do Cirurgião-Dentista durante o uso, um dos fatores a ser definido pelo profissional é se ele terá fio ou bateria. Ainda assim, não podemos deixar de citar que as opções com fio podem ser um pouco mais em conta em relação aos aparelhos à bateria. No entanto, fotopolimerizadores com bateria recarregável tendem a ser mais versáteis durante o procedimento, permitindo uma total liberdade de movimento e controle do produto.

Alguns modelos também possuem as duas opções, podendo ser utilizados tanto com o fio, quanto sem ele, é o caso do EmitterA Fit da Schuster. Outra questão importante é o peso e tamanho do fotopolimerizador, o ideal é que o peso seja entre entre 77g – 190g, mas sabemos que quase todos atendem a este quesito, sendo de fácil manuseio. 

Banner fotopolimerizador

Garantia e Voltagem do Fotopolimerizador 

Um ponto importante a ser analisado ao adquirir um fotopolimerizador, para reforçar o custo-benefício do produto, é o tempo de garantia. Analisando os fotopolimerizadores disponíveis no mercado, esse tempo pode variar de 1 até 5 anos de garantia, dependendo do fabricante. Sendo que a maior parte deles possuí garantia de 2 anos. 

Já relacionado à voltagem dos aparelhos fotopolimerizadores, em sua grande maioriasão Bivolts. 

Manutenção 

Após adquirir o produto é fundamental realizar a manutenção periódica do aparelho Fotopolimerizador, fazendo um teste de precisão da emissão de luz para garantir um ótimo desempenho.  Alguns aparelhos já possuem radiômetro acoplado para que o profissional consiga sempre acompanhar a intensidade da luz /potência emitida.  No entanto, a medição pode também ser feita através de radiômetros digitais, aparelhos que podem ser adquiridos de forma separada. Esta manutenção é muito importante para identificar eventuais problemas em seu aparelho. 

Finalmente, esperamos que os pontos citados ajudem você a encontrar o fotopolimerizador ideal!

Até a próxima!

 

Equipe Dental Speed

i*elo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-38882011000400003
https://www.*youtube.com/watch?v=NH9rY23WVcE
https://www.*youtube.com/watch?v=dwwColSaGKM&t=457s
https://www.denta*leader.com/dentablog/aspetos-considerar-escolher-fotopolimerizador/
https://www.*youtube.com/watch?v=Xi_6V9938Fo