A busca da prevenção ou correção dos sinais de envelhecimento facial tem estimulado o desenvolvimento de novas técnicas de harmonização, principalmente na região periocular.  

Antes de tudo, a olheira é a deformidade do canal das lágrimas ou goteira lacrimal que, quando acentuada se traduz por depressão inestética, sendo assim, confere ao olhar um aspecto cansado e envelhecido, mesmo em paciente jovem. Porém, o preenchimento pode amenizar esse aspecto.

Qual técnica escolher?

Antecipadamente, a técnica eleita vai depender do grau de envelhecimento que essa face se encontra. Contudo, podemos realizar a técnica subdérmica ou a técnica supraperiosteal, ou ainda uma associação das duas, realizando sempre a assepsia e a palpação dos tecidos antes de realizar o procedimento. Nesses casos, a utilização de cânulas se faz necessária para maior segurança. 

Qual material utilizar?

Ainda assim, a escolha do material preenchedor também é importante, por ser uma região delgada optamos por um ácido hialurônico de menor densidade. Todavia, outro ponto importante é respeitarmos as contraindicações desse procedimento, que são: 

  • gravidez;
  • lactação;
  • imunodepressão;
  • doenças autoimunes;
  • alergia aos componentes da injeção. 

Apesar disso, em especial na região de olheira, por apresentar uma anatomia delicada e com pouca espessura, não é indicada a realização de preenchimentos superficiais, a fim de evitar o Efeito Tyndall, ou seja, uma tonalidade azulada na região devido a superficialização do material preenchedor. 

Do mesmo modo, alterações multifatoriais como textura, coloração e firmeza da pele, reabsorção óssea e deslocamento de partes moles, redundam no aparecimento de despigmentações, sulcos e/ou bolsas de gordura e por isso, apenas uma opção terapêutica pode ser insuficiente para tratar essa região, o que requer um planejamento individualizado para cada tipo de olheira. 

Referências: 

1-Treatment of the tear trough and infraorbital hollow with hyaluronic acid fillers using both needle and cannula Jaishree Sharad, Received: 15 March 2020 Accepted: 20 March 2020 

2- preenchimento da goteira lacrimal com ácido hialurônico – técnica superficial, Surgical & Cosmetic Dermatology, vol. 7, núm. 1, 2015, pp. 50-55 

3- ABDULJABBAR, M. H.; BASENDWH, M. A. Complications of hyaluronic acid fillers and their managements - Journal of Dermatology & Dermatologic Surgery 20 (2016) 100–106 

4- ALMEIDA, A. D., et al. Diagnóstico e tratamento dos eventos adversos do ácido hialurônico: recomendações de consenso do painel de especialistas da América Latina Surg Cosmet Dermatol 2017;9(3):204-13. 

Cirurgiã-dentista em Blog Dental Speed
Pela Universidade Federal de Uberlândia. Ortodontista e especialista em Harmonização Orofacial.Coordenadora de especialização em HOF. Mestranda pelo European Face Institute em Harmonização Orofacial
Dra. Lírian Mercaldi
Últimos posts por Dra. Lírian Mercaldi (exibir todos)

Artigos relacionados

Education Template