A busca da prevenção ou correção dos sinais de envelhecimento facial tem estimulado o desenvolvimento de novas técnicas de harmonização, principalmente na região periocular.  

Antes de tudo, a olheira é a deformidade do canal das lágrimas ou goteira lacrimal que, quando acentuada se traduz por depressão inestética, sendo assim, confere ao olhar um aspecto cansado e envelhecido, mesmo em paciente jovem. Porém, o preenchimento pode amenizar esse aspecto.

Qual técnica escolher?

Antecipadamente, a técnica eleita vai depender do grau de envelhecimento que essa face se encontra. Contudo, podemos realizar a técnica subdérmica ou a técnica supraperiosteal, ou ainda uma associação das duas, realizando sempre a assepsia e a palpação dos tecidos antes de realizar o procedimento. Nesses casos, a utilização de cânulas se faz necessária para maior segurança. 

Qual material utilizar?

Ainda assim, a escolha do material preenchedor também é importante, por ser uma região delgada optamos por um ácido hialurônico de menor densidade. Todavia, outro ponto importante é respeitarmos as contraindicações desse procedimento, que são: 

  • gravidez;
  • lactação;
  • imunodepressão;
  • doenças autoimunes;
  • alergia aos componentes da injeção. 

Apesar disso, em especial na região de olheira, por apresentar uma anatomia delicada e com pouca espessura, não é indicada a realização de preenchimentos superficiais, a fim de evitar o Efeito Tyndall, ou seja, uma tonalidade azulada na região devido a superficialização do material preenchedor. 

Do mesmo modo, alterações multifatoriais como textura, coloração e firmeza da pele, reabsorção óssea e deslocamento de partes moles, redundam no aparecimento de despigmentações, sulcos e/ou bolsas de gordura e por isso, apenas uma opção terapêutica pode ser insuficiente para tratar essa região, o que requer um planejamento individualizado para cada tipo de olheira. 

Referências: 

1-Treatment of the tear trough and infraorbital hollow with hyaluronic acid fillers using both needle and cannula Jaishree Sharad, Received: 15 March 2020 Accepted: 20 March 2020 

2- Preenchimento da goteira lacrimal com ácido hialurônico – técnica superficial, Surgical & Cosmetic Dermatology, vol. 7, núm. 1, 2015, pp. 50-55 

3- ABDULJABBAR, M. H.; BASENDWH, M. A. Complications of hyaluronic acid fillers and their managements - Journal of Dermatology & Dermatologic Surgery 20 (2016) 100–106 

4- ALMEIDA, A. D., et al. Diagnóstico e tratamento dos eventos adversos do ácido hialurônico: recomendações de consenso do painel de especialistas da América Latina Surg Cosmet Dermatol 2017;9(3):204-13. 

Conteúdo relacionado

Qual ácido hialurônico devo escolher: Fill ou Lift?

Qual ácido hialurônico devo escolher: Fill ou Lift?

Dentística e Estética
O uso de preenchedores se tornou tendência nos procedimentos de Harmonização Orofacial. Devido a existência de diversos tipos de ácido hialurônico, muitas vezes surgem dúvidas de qual é o mais indicado de acordo com a região de aplicação. Confira nessa matéria do blog Eu Amo Odonto as principais diferenças entre eles!