Frente a pandemia de Covid-19, é fato que os profissionais da odontologia, devido aos tipos de procedimentos que realizam, correm alto risco de contágio.

Por meio de orientações de órgãos reguladores, estão sendo tomadas diversas medidas preventivas que visam a segurança dos atendimentos em consultórios odontológicos. Dentre elas, podemos destacar a higienização das mãos e o uso de equipamentos de proteção individuais, mais conhecidos como EPIs.

Contudo, devido a frequente higienização das mãos e o uso prolongado de EPIs, muitos profissionais tem sofrido com lesões na pele, que geram certo desconforto e aumentam os riscos de contaminação. Por isso, veja a seguir quais os diferente tipos de lesões, como surgem e como podem ser prevenidas.

O que são lesões por pressão?

Primeiramente, podemos definir que lesões por pressão são danos localizados na pele ou tecidos moles subjacentes dos indivíduos. Como o próprio nome já diz, são provocados pela pressão de certos dispositivos sobre a pele, principalmente em áreas de proeminência óssea.

Essas lesões ocorrem devido a pressão intensa e/ou prolongada em combinação com força de cisalhamento e são classificadas em estágios I , II , III e IV  conforme o infográfico abaixo :

 

Infográfico dos tipos de lesões na pele

 

Como essas lesões ocorrem e como identificá-las?

O uso de EPIs, faz com que a pele transpire mais e, ao mesmo tempo, não permite a evaporação deste suor, causando certa vermelhidão e coceira. Dessa forma, com seu microclima alterado, a pele tende a se tornar mais alcalina e somando toda essa umidade da pele com a pressão e fricção que o EPI exerce sobre ela, temos o cenário perfeito para o desenvolvimento de lesões.

As lesões são ocasionadas principalmente pelo uso contínuo de:

 

Imagem mostra mulheres com lesões no rosto
Exemplos de lesões causadas por EPI – Fonte: https://doi.org/10.30886/estima.v18.867_PT

 

Ainda assim, as principais lesões ficam localizadas em regiões com proeminências ósseas, sendo que as características mais comuns são:

  • Vermelhidão na região do nariz e nas bochechas que já podem ser sinal de Estágio I de lesão por pressão;
  • Ressecamento das mãos e região do rosto pelo excesso de higiene;
  • Coceira e rompimento da pele;
  • Dores e vermelhidão ou possível ruptura da pele na região das orelhas;

 

Locais com maior risco de lesões

 

Como prevenir lesões na pele por uso de EPIs

Logo, um dos principais cuidados está relacionado a ingestão de líquidos e alimentos adequados, afinal, uma boa alimentação e hidratação são fundamentais para uma pele saudável.

Contudo, existem outros cuidados que podem ser tomados:

  • Manter a pele limpa e hidratada na região das mãos e do rosto;
  • Evitar utilizar produtos a base de óleo, pois alguns estudos indicam que eles podem aumentar os deslizamentos de EPIs na região da face;
  • Usar sabonete com o PH levemente ácido e que seja compatível com a sua pele;
  • Evitar esfregar fortemente as áreas da pele que possuem mais risco de desenvolver lesão por pressão, como nariz, bochechas, testa;
  • Se atentar aos sintomas como dor, vermelhidão, coceira e ressecamento da pele após a retira dos EPIs.
  • Em casos de lesões instaladas, é necessário buscar tratamento e utilizar os EPIs apenas junto à curativos apropriados ou após normalizar a integridade da pele;
  • Utilizar coberturas preventivas nas áreas de contato com os EPIs, principalmente nos pontos de pressão que o equipamento exerce sobre a pele, como nariz, testa e bochechas, ou seja, produtos que auxiliam a diminuir o atrito do plástico do EPIs com a pele integra, aliviando a pressão;

  • Outra opção mais estética é utilizar filme transparente e impermeável com adesividade, que protege a pele de forma discreta;
  • Utilizar protetores cutâneos de pele a base de dimeticona e copolímero de acrilato formando uma película de proteção na região do rosto, evitando umidade na pele após uso intenso dos EPIs;

 

Banner Essit

 

Em relação ao tratamento indicado, tudo irá depender do tipo de lesão, contudo, costumam ser utilizados corticoides e até anti-histamínicos em alguns casos.

De qualquer forma, caso já tenha sinais de dermatite é importante procurar um especialista, pois a avaliação de um profissional é fundamental para classificar o grau da lesão e indicar o melhor tipo de tratamento.

 

Até a próxima!

Equipe Dental Speed

Tipos de lesões provocadas por EPIs e como preveni-las

 

Referências: