AUTOR
Marcelo Figueiredo Magalhães
Graduado em Odontologia – UNIFOR
graduação em Reabilitações Estéticas – ICEO
Especialização em Prótese Dentária – São Leopoldo Mandic/Ce
Mestrado em Clínica Odontológica Integrada – São Leopoldo Mandic/SP
Coordenador do curso de Imersão em Estética – CEOPP/Ce
Professor da Especialização de Ortodontia – CEOPP/Ce

Paciente do gênero masculino, 24 anos de idade.

RELATO DO CASO

A QUEIXA: dentes amarelados.

O EXAME CLÍNICO/RADIOGRÁFICO: paciente com boa saúde bucal, sem necessidade de intervenção prévia ao clareamento. Percebem-se manchas em esmalte, estriadas e esbranquiçadas, em pré-molares principalmente nos dentes 24 e 25 (face vestibular).

O TRATAMENTO: Devido ao grau de saturação da cor dos dentes, estimou-se que o clareamento dos dentes levaria a uma atenuação das manchas. Fez-se três semanas de clareamento caseiro supervisionado, com gel de peróxido de carbamida a 16%.

MATERIAIS UTILIZADOS

Clareador de uso caseiro supervisionado (peróxido de carbamida) – Whiteness Perfect 16%

Placas para moldeiras – Whiteness Placas 1mm

“De modo confortável, rápido e seguro, foi possível clarear os dentes do paciente e atenuar as manchas superficiais em esmalte, já que se conseguiu menor contraste entre dente e manchas”.

Artigos Relacionados

Vamos falar sobre clareamento

Vamos falar sobre clareamento

Conteúdo Especial
Muitos são os mitos sobre o procedimento (enfraquecimento do dente, sensibilidade excessiva, trincas etc.), mas ele é um dos mais estudado em Odontologia e tem feito a cabeça dos dentistas e pacientes desde a década de 1980, com o boom da brancura dental de Hollywood.