As próteses do tipo protocolo são hoje uma excelente opção para reabilitação de pacientes edêntulos totais. Contudo, como todo tratamento, elas tem suas indicações, contra indicações e suas limitações.

No dia a dia clínico da Implantodontia é comum observarmos tratamentos desse tipo sendo executados de forma inadequada, podendo gerar perda dos implantes e insucesso no tratamento. Tudo isso pode ser evitado se alguns princípios básicos forem seguidos. O objetivo desse texto é justamente ajudá-los a fazer uma correta seleção de casos de próteses totais implanto-suportadas.

Quando um paciente edêntulo chega ao seu consultório com o desejo de colocar implantes, qual é a primeira coisa que você avalia, após a realização da anamnese?

Se você respondeu disponibilidade óssea, esse texto é para você!

 

Primeira avaliação

Primeiramente, antes de pedir uma tomografia computadorizada para avaliar a disponibilidade óssea desse paciente, devemos avaliar sua linha de sorriso. Sem as próteses, devemos pedir pra que ele dê um “sorriso forçado” e avaliar qual a relação entre o rebordo e os lábios do paciente.

E por que isso?

Pois se o paciente tiver um sorriso gengival, talvez a prótese do tipo protocolo não seja o tratamento de escolha nesse caso. Tendo isso em mente, e expondo para o paciente a possibilidade deste não ser o tratamento ideal para o seu caso, aí sim pedimos os exames complementares.

 

Produtos de implantodontia

 

Definindo o tipo de prótese

Com a tomografia em mãos avaliamos a disponibilidade óssea para os implantes, e em caso positivo, avaliamos a altura óssea x exposição do rebordo.

Caso haja osso suficiente para você realizar uma osteotomia de todo o rebordo que “estiver sobrando” e ainda assim inserir os implantes, esse paciente pode receber uma prótese do tipo protocolo. Caso não tenha tanta disponibilidade óssea, o que é muito comum, você deve pensar em realizar uma prótese do tipo overdenture.

Contudo, o que não pode acontecer é a confecção de uma prótese protocolo com um sobrecontorno, ou mesmo com um flanco como é comum observamos. Pois, dessa forma, não há como o paciente realizar uma correta higiene e esses implantes muito provavelmente falharão.

Próteses como essa devem ser totalmente arredondadas e polidas na parte interna, informação essa que precisamos cobrar dos nossos laboratórios. E a partir de então educar nossos pacientes para realizar uma correta higienização.

 

Se a linha de transição precisa ficar exposta, a prótese protocolo não é a solução!

Uma prótese do tipo overdenture permite que o paciente remova e realize a correta higiene e se mostra um ótimo tratamento quando bem selecionado e executado.

Para obtermos sucesso em implantodontia é primordial realizarmos uma correta seleção dos casos, nos possibilitando, assim, uma correta execução e dando condições ao paciente de manter esse trabalho de forma adequada e com saúde.

Espero ter ajudado! Até a próxima!

 

Dra. Carla G Lohn

Artigos Relacionados