Seguir os protocolos de biossegurança é algo que faz parte do dia a dia do dentista. Sabemos que é fundamental garantir a higienização do consultório e realizar a  esterilização dos instrumentais utilizados para a prevenir doenças. Mas como fazer a desinfecção correta dos instrumentais odontológicos? Qual a maneira correta de esterilizar os materiais? Como utilizar a autoclave odontológica?

Para realizar a esterilização odontológica é essencial ter conhecimentos sobre desinfecção e ciclos de esterilização, para não acontecer contaminação cruzada e proteger sua saúde e do seu paciente.

 

Autoclave Odontológica

Como é feita a esterilização na odontologia?

O processo de limpeza e higienização deve ser realizado em um ambiente voltado exclusivamente para a limpeza do instrumental, para evitar contaminações.

É fundamental estar paramentado para não se contaminar. O processo de higienização é dividido em:

  • desinfecção;
  • limpeza e secagem;
  • embalagem;
  • esterilização.

 

A desinfecção de artigos odontológicos deve ser feita com produtos químicos recomendados pela ANVISA e sempre respeitando a diluição e tempo de imersão recomendados pelo fabricante.

Após a desinfecção, é realizada a limpeza dos instrumentais, com detergente enzimático e escovas de cerdas macias para prevenir perfurações.

A cada dois meses é recomendada a desincrustração dos instrumentais para remover restos de produtos e/ou matéria orgânica, para não prejudicar o processo de esterilização. A secagem deve ser feita logo após o enxágue.

Logo depois da secagem, o material deve ser acondicionado em uma embalagem própria para esterilização.  Nesse sentido, é ideal que se embale-os por kits de procedimentos. Isso otimiza seus atendimento e controla a quantidade de materiais que serão esterilizados.

Igualmente, não podemos esquecer do uso de indicadores químicos para garantir a qualidade da esterilização. Os indicadores avaliam a presença dos parâmetros críticos da esterilização a vapor (tempo, temperatura e presença de vapor) e, após esterilizados, sofrem uma alteração em sua coloração. Os indicadores biológicos devem ser utilizados semanalmente para testar tanto a viabilidade dos esporos como verificar se a incubadora esta funcionando corretamente.

Após a  realização dos processos de desinfecção, limpeza, secagem e embalagem os instrumentais estão prontos para a esterilização na autoclave odontológica.

 

O que é a autoclave odontológica?

 

A autoclave é um equipamento metálico, de fecho hermético, indicado para esterilizar artigos e instrumentos termorresistentes embalados e desembalados utilizando vapor saturado sob pressão, oferecendo um procedimento seguro e econômico.

De acordo com a Anvisa, a esterilização de materiais odontológicos é uma norma criada para garantir a eliminação de microorganismos e prevenir contaminações e transmissão de doenças através da contaminação cruzada.

A função da autoclave odontológica é eliminar os microrganismos e  esporos presentes nos instrumentos odontológicos. O processo ocorre através da coagulação das proteínas dos microorganismos, eliminando os mesmos e prevenindo qualquer tipo de contaminação.

O equipamento é  essencial para garantir a segurança dos pacientes e dos profissionais de odontologia.

Existem uma grande variedade de modelos disponíveis no mercado;  os mais indicados para se utilizar em consultórios odontológicos são as autoclaves do tipo B por permitir a esterilização de diferentes tipos de instrumentais utilizados nos procedimentos odontológicos.

As versões para Odontologia apresentam capacidade de até 24 litros, ou seja, quanto maior a capacidade, maior a quantidade de instrumentais serão esterilizados, otimizando seu atendimento clínico.

Desse modo, quando comprar seu equipamento, verifique se adquiriu uma autoclave bloqueada e de acordo com as normas da ABNT e ANVISA. Isso garante que seu equipamento nunca foi usado e  possui as certificações necessárias para realizar uma esterilização eficaz.

Outro fator importante é a rastreabilidade da autoclave. Pois é através desta ferramenta que os fabricantes mapeiam o número de usuários daquela marca e oferecem assistência técnica adequada.

 

Como funciona a autoclave odontológica?

 

Para realizar o ciclo de esterilização , é necessário inserir os materiais embalados, ligar o equipamento para atingir a temperatura adequada e desta forma iniciar o ciclo de esterilização. Use sempre água destilada ou filtrada para a obtenção do vapor.

A temperatura varia de 121ºC à 134ºC, de acordo com o modelo adquirido.

A literatura científica recomenda o seguinte tempo x temperatura:

  • 121ºC – 30 min de exposição
  • 134ºC – 15 min de exposição

É importante lembrar que o tempo de exposição não inclui o tempo necessário para atingir a temperatura ideal, tempo de exaustão e tempo de secagem.

Do mesmo modo, é fundamental verificar o tempo recomendado por cada fabricante no manual de instruções.

O processo inclui ciclos de compressão e de descompressão de forma a facilitar o contato entre o vapor e os materiais contaminados.

Após finalizar o processo, é necessário ter alguns cuidados com o armazenamento do instrumental, para não invalidar a esterilização dos instrumentais.

Segundo a ANVISA, os materiais esterilizados devem ser armazenados em gavetas, prateleiras fechadas ou caixas plásticas, tomando os devidos cuidados para não danificar os pacotes. Por isso, é fundamental manter a organização no consultório odontológico.

Além disso, a ANVISA diz que o dentista deve realizar o registro da monitorização da esterilização e ficar atento ao prazo de validade do processo de esterilização, que é de sete dias.

Após a utilização do instrumental esterilizado, a embalagem que o acondicionava deve ser descartada.

Estas são algumas das  principais dúvidas dos dentistas em relação à esterilização.

Aqui na Dental Speed você encontra uma grande variedade de marcas e modelos de autoclaves odontológicas, escolhendo a capacidade mais indicada para sua necessidade!

Você tem alguma dúvida que não citamos aqui? Escreva nos comentários!

Artigos Relacionados

Manifestações Bucais da AIDS

Manifestações Bucais da AIDS

Conteúdo Especial
A AIDS é uma doença antiga e que infectou cerca de 39 mil novas pessoas nos últimos 5 anos. O diagnóstico precoce pode ajudar no combate desse doença e você, cirurgião-dentista pode ajudar através do reconhecimento das manifestações bucais. Leia no blog de hoje, quais são as manifestações bucais da AIDS.
Clorexidina: Indicações e contra-indicações na Odontologia

Clorexidina: Indicações e contra-indicações na Odontologia

Biossegurança
A biossegurança é uma preocupação de todo cirurgião-dentista. Hoje, existem diversas substâncias que ajudam o dentista a tornar os procedimentos odontológicos mais seguros, uma delas é a Clorexidina. Leia no blogpost de hoje, o que é, quais as indicações e contra indicações da Clorexidina na Odontologia.