A importância do mês do Orgulho LGBTQIA+   

Odontologia

Neste mês, o mundo inteiro está comemorando o Orgulho LGBTQIA+. Ou seja, um mês de luta contra a discriminação e a favor dos direitos dessa comunidade. O mês de junho foi o escolhido devido a um acontecimento chamado de “Rebelião de Stonewall”, ocorrido nos Estados Unidos em 28 de junho de 1969.    

O surgimento do movimento LGBTQIA+ 

Antes de mais nada, o movimento LGBT surgiu, simbolicamente, em uma invasão policial a um bar frequentado pela comunidade LGBT em Nova York, onde funcionários foram presos por venderem bebidas alcoólicas – na época, bares “gays” não podiam vender álcool devido à “conduta dos frequentadores” – e Drag Queens por estarem violando o que chamavam de “estatuto de vestuário”, que definia quais roupas eram “apropriadas” ou não ao sexo do indivíduo.  

Durante esse confronto, várias pessoas foram até o local para tentar impedir as prisões, e esse fato foi um marco na luta da comunidade LGBT, pois, durante os próximos 5 dias, centenas de pessoas se reuniram para protestar contra as perseguições sofridas por gays.  Hoje, isso se repete anualmente no mundo todo e aumenta cada vez mais a consciência social sobre este tema.   

Contudo, mesmo 50 anos após essas manifestações, é fato de que o preconceito ainda existe. Ele pode ser refletido em abusos, na rejeição da família, em humilhações públicas, representações degradantes na mídia e em outras diversas situações a que a comunidade LGBTQIA+ está exposta, apenas pelo fato de serem eles mesmos. 

Logo, existir uma data que promova a igualdade e o amor entre todas as orientações sexuais e identidades de gênero, é fundamental, uma vez que essa luta contra a discriminação deve ser uma luta de todos.  

Por que apoiar a causa LGBTQIA+? 

Aqui na Dental Speed, somos em mais de 600 colaboradores vindos dos mais diferentes grupos e culturas. E a diversidade e a inclusão fazem parte dos nossos valores. Para nós, diversidade é sobre “você ser você mesmo”, e inclusão é sobrevocê servalorizado por quem você é”; é a sensação de pertencimento.  

Nós estimulamos um ambiente saudável e colaborativo, onde todos podem compartilhar ideias e, são ouvidos e respeitados apesar das diferenças. E acreditamos que o caminho para a igualdade, é exatamente esse: estarmos abertos para ouvir e aprender sobre o desconhecido. Isso significa ouvir e entender ativamente àqueles que experimentaram e continuam experimentando todas as formas de preconceito, sejam elas sutis ou óbvias.  

Por aqui, nosso compromisso é de manter uma cultura que não permite nenhum tipo de intolerância. Além disso, continuar aprendendo de que forma podemos contribuir para a luta contra qualquer forma de preconceito, e a favor do amor, da igualdade e do respeito.  Afinal, consideramos isso necessário para conciliar as diferenças e construir uma sociedade justa para todos.   Conteúdos que abordam o tema LGBTQIA+ 

Pensando nisso, separamos algumas indicações de conteúdos muito interessantes a respeito deste tema, para contribuir também com a sua jornada de conhecimento.

Séries e filmes LGBTQIA+ 

Hoje, inúmeros filmes e séries abordam o tema LGBTQIA+, trazendo mais visibilidade para esse movimento.  Por isso, fizemos uma lista especial de filmes e séries com histórias incríveis que você precisa conferir:  

Queer Eye

Trata-se de um reality show onde 5 homens homossexuais, com habilidades variadas, focam em melhorar a saúde mental e vida pessoal, tentando abrir os olhos das pessoas para seus problemas e ajudando-os a enfrentá-los. O reality se passa nos E.U.A e a maioria dos escolhidos vive em cidades mais conservadoras, distantes da comunidade LGBTQIA+.  A série é inspiradora e faz uma grande mudança na vida das pessoas, vale a pena conferir!   

Onde assistir: Netflix.  

Pose 

O cenário da série é a Nova York dos anos 80 e mostra a realidade da comunidade LGBTQIA+ da época. A protagonista se chama Blanca, mulher transgênero que descobre ser portadora do vírus HIV. Então decide abrir sua própria casa, a Casa Evangelista, para abrigar jovens homossexuais e transexuais que não têm onde morar. Além disso, retrata os famosos concursos organizados em bailes LGBT.  

Onde assistir: Netflix.  

Sense8

A série é uma mistura de ação, romance, comédia e ficção científica, onde alguns dos protagonistas são homossexuais, sendo uma delas transgênero. Sense8 não é nem um pouco monótona. A história gira em torno de oito pessoas, em diferentes países no mundo, que conseguem se conectar e sentir as mesmas emoções. Tudo isso fica muito perigoso quando uma organização começa a caçar pessoas que possuem essas “habilidades especiais”, pois são consideradas uma ameaça. Os primeiros episódios podem ser um pouco confusos, mas tudo faz parte de um enredo arrebatador que você não vai querer parar de assistir!  

Onde assistir: Netflix.  

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho  

Um filme brasileiro, ganhador de vários prêmios internacionais, que retrata a história de Leonardo. Um adolescente cego que busca sua independência, pois vive com uma mãe super protetora.  Contudo, ao conhecer Gabriel, um garoto novo na escola, começa a descobrir coisas novas sobre sua sexualidade e a ter sentimentos que nunca havia sentido antes. O filme retrata essa descoberta de uma maneira leve e bonita, não tem como não torcer por um final feliz para os personagens!  

Onde assistir: Netflix e Youtube.  

A voz da igualdade

O filme é baseado na vida do político e ativista, Harvey Milk, que se muda para São Francisco com um sonho de abrir uma loja de fotografias junto com seu namorado.  Porém, mesmo São Francisco sendo umas das cidades menos conservadoras da época, o personagem ainda sofria preconceito. Isso fez com que ele iniciasse sua luta por direitos iguais e oportunidades para todos, sem discriminação sexual, buscando ser o primeiro político estadunidense a ser eleito mesmo se assumindo gay.  

Onde assistir: Telecine Play e Amazon Prime.  

Podcasts LGBTQIA+

Se você ainda não conhece, podcasts são como programas de rádio feitos para internet que estão disponíveis em várias plataformas populares como: Deezer, iTunes e Spotify. Trouxemos três opções que trazem pessoas do movimento LGBT e que debatem sobre o movimento semanalmente.  

Só Ouço Falar

Neste podcast, Gabie Fernandes (Depois das Onze) convida personalidades LGBT para discutirem pautas relevantes a quem, como ela, é heterossexual ou cis (pessoas que se identificam com o gênero que nasceram). Os temas vão desde sobre o papel do aliado à causa até a importância de enxergar LGBTs. Todos os episódios estão disponíveis no Spotify.  

Poc de Cultura 

Quatro amigos LGBTs compartilham neste podcast a vida morando em São Paulo, discutindo sobre a rotina, as dores, problemas e amores do grupo, assuntos sérios falados em tom leve para qualquer pessoa entender. Os episódios estão disponíveis em todas as plataformas digitais.  

Santíssima Trindade das Perucas 

Três drag queens (Bianca DellaFancy, Duda Dello Russo e LaMona Divine) unem-se num podcast bem humorado e informativo para discutir os assuntos do momento, cultura pop e vivência LGBT. Todos os episódios estão disponíveis no Spotify. 

Livros LGBTQIA+

E para aqueles que amam ler, selecionamos três livros com histórias incríveis para uma leitura inspiradora: 

A Garota Dinamarquesa 

O livro, escrito por David Ebershoff, conta a história real de Lili Elbe, que foi a primeira mulher trans a passar pelos procedimentos de transição de gênero em 1930. A história começa quando Einar  veste as roupas de uma modelo para que sua esposa termine de pintar um quadro, depois disso ele começa a descobrir sua identidade feminina, a qual chama de Lili, e começa a assumi-la. Mesmo com todo o preconceito da época, ela conta com o apoio de sua esposa, que a ama incondicionalmente.  

Me chame pelo seu nome

Escrito por André Aciman, o livro conta a história de Elio, filho de um importante professor universitário, que está acostumado a passar os verões em uma casa na costa italiana. No entanto, tudo muda com a chegada de um escritor americano, que pretende aproveitar o verão e escrever sobre Heráclito. Ao longo do livro, os dois jovens se apaixonam e vivem um romance complexo, cheio de desejos e inseguranças.  

Orlando

O livro de Virgínia Woolf, é uma biografia ficcional e traz a incrível história de Orlando, que simplesmente acorda como mulher durante uma viagem à Turquia. Dotado de imortalidade, é possível acompanhar sua jornada por seus 350 anos de vida e as ambiguidades da identidade feminina e masculina, onde é retratada a troca de identidade como algo cotidiano.  

Projetos Sociais LGBTQIA+ 

Em todo o país, há iniciativas que lutam contra a homofobia e a transfobia. Separamos abaixo, organizações e instituições que fornecem desde cursos e oficinas a abrigo e proteção aos que são expulsos da própria casa. Conheça um pouco mais sobre essa luta pela conscientização e direitos LGBT:  

Casa 1 

A casa de acolhimento localizada em São Paulo é mantida coletivamente pela sociedade civil, e é destinada às pessoas LGBTs expulsas de casa por intolerância das famílias. A organização também conta com uma biblioteca comunitária, espaço cultural (onde ocorrem oficinas, cursos, exposições e palestras), e clínica social para atendimento psicológico com foco na comunidade em que atua. Mensalmente, cerca de 3.500 pessoas são atendidas pela Casa1 e mais de 20 moram atualmente nela.  Para saber mais, visite o site.

Mães Pela Diversidade 

Atuante em todo o território nacional, é um grupo formado por mães e pais de diferentes classes sociais, grupos étnicos e origens, e tem como objetivo ser uma grande rede de apoio para familiares de jovens LGBT.  O grupo acredita em “dar apoio para que se forneça apoio”, atuando pelas redes sociais e em encontros periódicos em cada estado. Através do seu canal do Youtube, por exemplo, é possível acompanhar relatos de mães e pais que compartilham as dores de seus filhos na luta contra a homotransfobia.  

 

A ONG conta com uma equipe de profissionais psiquiátricos, além de ter parcerias com grupos de advogados e OAB para ajudar na luta por direitos iguais aos seus filhos. Além disso, a organização também é responsável pela realização de eventos e mediação de grupos virtuais para que pais e filhos possam conversar sobre sexualidade.  Para saber mais, acompanhe o Facebook. 

Adehonline – De Florianópolis, Santa Catarina, a organização atua desde 1993 promovendo saúde e discussão dos Direitos Humanos e das políticas LGBT. O local também atende gratuitamente pessoas vítimas de violência de gênero e seus familiares, com acompanhamento psicológico e assessoramento jurídico, além de prover um local para roda de conversa, atividades artísticas e workshops. Para saber mais, acompanhe o Facebook.

Logo, um dos principais motivos de falarmos sobre a causa LGBTQIA+, seja aqui em nosso blog, em nossas redes sociais e até mesmo com ações internas, é trazer informação e gerar diálogo entre as pessoas. 

Afinal, falar sobre diversidade, sobre “ser você mesmo”, sobre pertencimento, é essencial para acabar com todas as formas de preconceito. Vamos juntos nessa? 

Conteúdo relacionado