Odontologia Integrativa: o que é?

Saúde e Bem-estar

A Odontologia está em constante transformação, sendo cada vez mais comum o uso de práticas integrativas complementares no tratamento odontológico, as quais fazem parte do que chamamos de Odontologia Integrativa.

Nessa abordagem, que segue os princípios da medicina integrativa, o profissional de odontologia tem um olhar para o todo, buscando entender e tratar o ser humano de acordo com suas necessidades físicas, mentais e espirituais. 

O cirurgião-dentista que atua dentro deste conceito, analisa detalhes sobre o paciente, apresentando algumas soluções técnicas de tratamento, ou seja, ele busca resolver a causa do problema ou da doença a fim de recuperar as estruturas comprometidas, com o que há de melhor, diante das possibilidades individuais do ser. 

Ao longo do artigo vamos compreender melhor a origem e fundamentos da Odontologia Integrativa, as práticas existentes, os principais benefícios para o paciente, dentre outros aspectos. 

O que é Odontologia Integrativa?

O conceito de saúde definido pela Organização Mundial da Saúde representa bem a ideia que a Medicina Integrativa busca aplicar. Para a OMS, saúde não é apenas a ausência de doença, mas um estado ideal de bem-estar físico, mental e social dos indivíduos.

Assim, a Odontologia Integrativa trata estruturas do sistema estomatognático dentro do conceito de saúde única, onde cirurgião-dentista atua com profunda atenção para reações químicas orgânicas que ocorrem no organismo, somado às emoções que aquele paciente sente ou tenha sofrido.  

Com este olhar, o profissional apresenta algumas práticas integrativas e complementares que mais se encaixa ao tratamento e estilo de vida do paciente, aplicando a ideia de saúde única.  

Tornando o paciente o ator principal na história de sua saúde e passando a assumir o comando consciente de seus atos.

Atestados Odontológicos na Dental Speed

Quando a Odontologia Integrativa começou a ser praticada?

Atualmente a medicina e odontologia integrativa ou funcional tem sido bastante difundida e cada vez mais os pacientes buscam este tipo de tratamento humanizado e acolhedor, porém algumas práticas integrativas são milenares, como é o caso da medicina tradicional chinesa, medicina ayurvédica e tibetana.  

A primeira oficialização de meios alternativos à medicina tradicional foi em 1980, com a adoção da nomenclatura Medicina Complementar.  

Já no final da década de 1990, na tentativa de descrever um novo modelo de saúde que retrate a integração dos diversos modelos terapêuticos, mais do que simplesmente opere com a lógica complementar, e que ofereça o cuidado integral à saúde, foi criado o termo “Medicina Integrativa” (MI). 

Dessa forma, no início dos anos 2000, o termo Medicina Integrativa surgiu para reforçar ainda mais essa visão. Os tratamentos não são mais alternativos ou adicionais, são parte de toda a busca pela saúde e bem-estar. 

A história da medicina e da odontologia integrativa mostra a evolução da busca pela qualidade da vida e não apenas da cura das enfermidades ou tratamento imediatista olhando apenas paras as consequências de processos não diagnosticados.  

Nesse contexto, a Medicina e a Odontologia Integrativa atuam nessa procura pelo bem-estar físico, mental e social dos indivíduos (corpo, mente, espírito). 

O ganha-ganha acontece com maior adesão dos pacientes, desta forma, profissionais alcançam o sucesso esperado e muitas vezes além, pois o paciente adquire saúde através do sorriso e mudanças de hábitos implantadas com leveza no seu dia a dia. 

Reconhecimento das práticas integrativas pelo CFO

Em 2015, o Conselho Federal de Odontologia realizou a Assembleia de Especialidades Odontológicas – ANEO, na qual foram aprovadas através da Resolução CFO 160/2015[5] as especialidades: Acupuntura; Homeopatia; habilitações de Odontologia Antroposófica e Ozonioterapia. 

Isso, somando-se às habilitações que já haviam sido aprovadas em 2008, é o caso da Fitoterapia; Hipnose; Laserterapia; Odontologia Antroposófica e Terapia Floral. 

Logo, todos os profissionais que se sentirem chamados para este conceito podem aplicar esta máxima em sua prática clínica, devendo ter o cuidado de escolher cursos reconhecidos pelos órgãos competentes para sua formação.

Certificação dos cursos relacionados à Odontologia Integrativa

Hoje, existem 29 práticas integrativas (PICs) aprovadas pelo Ministério da Saúde, sendo que o CFO reconhece duas delas como áreas de especialização:  

  • Acupuntura; 
  • Homeopatia.  

E outras seis práticas são inseridas no contexto de habilitação

  • Fitoterapia; 
  • Terapia de florais;
  •  Hipnose; 
  •  Laserterapia; 
  •  Odontologia antroposófica; 
  • Ozonioterapia. 

Aqueles que buscam uma certificação da Especialização em Práticas Integrativas e Complementares ou Odontologia Integrativa obterá a titulação de Especialista em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, sendo um curso de Pós-Graduação Lato Sensu, validado pelo MEC. 

Os cursos oferecidos para a especialização Latu sensu podem ser feitos online, presenciais ou em sistema híbrido. Há diversas escolas que oferecem esse curso, ou seja, não necessariamente precisa ser realizado em escolas de Odontologia.

Autoclave Odontológica Dental Speed

Aplicabilidade Clínica das Práticas Integrativas (PICs)

Podemos citar diversos casos de como aplicar práticas integrativas e complementares na odontologia. Veja a seguir a aplicabilidade de cada uma delas: 

Homeopatia 

A Homeopatia na odontologia possui um olhar individual para cada paciente e tratamentos de longo prazo. Nessa prática é preciso analisar uma série de fatores na vida do paciente, para tratar o distúrbio da melhor forma. A terapia consiste, basicamente, na indicação de medicamentos que geram sintomas parecidos com o que o indivíduo vem apresentando, induzindo o sistema de defesa do organismo a curar a doença. Essa terapia alternativa costuma ser muito aplicada em casos de aftas recorrentes, gengivites, abcessos, etc. 

Laserterapia 

O Laser de Baixa Intensidade funciona como uma fonte de energia, que em contato com a pele e/ou mucosa promove uma resposta celular nos indivíduos. A Laserterapia auxilia no tratamento de aftas/úlceras, candidíase, lesões endodônticas e mucosites, herpes simples, hipersensibilidade dentinária, dor e disfunção da ATM. Também é muito utilizada em procedimentos de Harmonização Orofacial. 

Ozonioterapia 

A Ozonioterapia é outra técnica que vem sendo empregada como coadjuvante em tratamentos odontológicos. Na terapia, é utilizada uma mistura gasosa de ozônio e oxigênio, por meio de um equipamento próprio. Esse vapor atua de forma analgésica, anti-inflamatória, antifúngica, antimicrobiana e regenerando nervos lesionados. Pode ser utilizada no tratamento de doença periodontal, DTM, necrose de osso maxilar, lesões endodônticas, tratamento de infecções e inflamações, em pós-cirúrgico e eliminação de microrganismos. 

Florais e Aromaterapia 

Algumas marcas de florais quânticos (Fisioquantic, Best Flower) apresentam linhas odontológicas que podem ser usadas para tratamentos clínicos e rotina de higiene bucal. Estes produtos possuem baixo ou zero potencial alergênico, não possuem contraindicação se usados com outros medicamentos e trazem segurança de resultados através de diversas pesquisas. Leia o artigo completo sobre “Aromaterapia na odontologia“.

Fitoterapia

Nessa terapia, utilizam-se plantas medicinais como complemento para o tratamento de inúmeros distúrbios, como aftas, ulcerações, estomatites, etc. Dentre os fitoterápicos mais utilizados estão a camomila, o cravo-da-índia, malva, romã, unha de grato e própolis, agindo principalmente de forma antimicrobiana, anti-inflamatória e cicatrizante. Dentre os principais benefícios, pode-se considerar o baixo custo em relação a medicamentos alopáticos, bem como uma menor manifestação de efeitos colaterais. 

Odontologia Antroposófica 

A Odontologia Antroposófica baseia-se em conceitos de salutogênese, onde a saúde do paciente é analisada de forma sistêmica, não se limitando a erradicar apenas sintomas locais. Nessa área, o paciente é visto como ser único e individual, e para o tratamento soma-se a odontologia tradicional com técnicas antroposóficas, desde indicação de medicamentos naturais e terapias alternativas envolvendo expressões artísticas. 

Acupuntura (MTC) 

A Acupuntura tem origem na medicina tradicional chinesa e pode ser aplicada pelo cirurgião-dentista com formação nesta área ou por colega parceiro. É indicada antes, durante e depois do tratamento odontológico. Dentre os inúmeros benefícios, podemos citar a redução do estresse e ansiedade odontológica, a utilização em pós-operatório para alívio de dor, e a grande contribuição para o tratamento de dor orofacial. 

Hipnose 

A hipnose consiste em conduzir o paciente a estado especial de consciência, utilizando recursos do corpo e da mente. Assim o cirurgião-dentista pode realizar os procedimentos de forma tranquila, pois o paciente se mantém em estado de relaxamento pleno. Essa técnica pode ser usada em qualquer especialidade clínica, favorecendo a confiança entre profissional e paciente, amenizando a ansiedade e desconforto da ida ao dentista e reduzindo, até mesmo, a salivação e sangramentos, de acordo com o procedimento empregado.

Assista ao vídeo com o Especialista Dr. Victor Paz:

Ainda, existem algumas possibilidades de tratamentos associados como Terapia Cannabidiol, em casos de DTM, Terapia Fotodinâmica, Terapia Neurofocal e de mais práticas conhecidas e muito bem aceitas pelos pacientes, como técnicas de meditação e prescrição de atividades ao ar livre, caminhadas guiadas em grupos terapêuticos, reiki, cromoterapia, barra de acess, terapia com psicólogas e terapeutas quânticas, etc. 

Todas essas terapias integrativas e complementares são ferramentas que nós, cirurgiões-dentistas, podemos aplicar, desde que tenhamos conhecimento para tal atuação clínica.  

Dessa forma, podemos apresentar ao paciente aquelas que mais couberem ao seu estilo de vida, isso trará mais adesão ao tratamento e o sucesso ocorrerá com leveza e longevidade. 

Odontologia Integrativa além da Odontologia Tradicional

O primeiro passo para que se entenda sobre o tratamento integrativo é pensar em saúde de acordo com a definição da OMS, conforme citamos anteriormente.

Agora, vamos considerar, por exemplo, um caso de bruxismo e/ou apertamento dentário isolados ou associados. Será que o dentista consegue tratar este paciente somente com seus conhecimentos técnicos em odontologia tradicional?   

Hoje não há como negar que apertamento dentário e bruxismo são patologias multifatoriais e que requerem uma análise e tratamento comportamental e emocional, necessitando de apoio de vários profissionais de saúde para tratar um paciente em crise aguda.  

Aqui cai por terra aquela velha história que assistimos onde, por muito tempo, alguns colegas tratavam estes pacientes com a entrega de uma placa miorrelaxante e pronto, era ir para casa e retornar em 6 meses para a visita periódica de rotina.  

É claro, muitas vezes o paciente nem entendia o porquê desta placa, acabava se incomodando com o aparelho e logo deixava de usar. 

Não sendo nada eficaz e tampouco algo que ele se sentisse cuidado, acabava seguindo com o uso de analgésicos, procurando neurologista, psiquiatras, ou lançando mão de medicamentos por autoprescrição. 

Benefícios da Odontologia Integrativa para o paciente

O maior benefício de um tratamento odontológico integrativo é pensarmos no restabelecimento da saúde integral do paciente. 

A Odontologia Integrativa cuida destes pacientes com mais profundidade, realizando uma análise criteriosa sobre o estilo de vida do paciente, levando em conta fatores como: 

  • qualidade de sono; 
  • hábitos alimentares; 
  • prática de esportes; 
  • ambiente de trabalho e familiar; 
  • situações emocionais no últimos meses ou anos; 
  • sistema mastigatório; 
  • deglutição; 
  • situação postural; 
  • possíveis desequilíbrios em outros órgãos. 

Buscando, é claro, a vertente no sistema estomatognático e oferecendo ferramentas para um tratamento completo da origem do problema, a Odontologia Integrativa age nas estruturas da boca, mas tratando o ser humano. E Sempre que necessário, encaminha para as especialidades específicas.

Assim, o cirurgião-dentista que atua na área, permite e traz o paciente a participar ativamente na escolha de seus tratamentos complementares propostos.

Esse paciente tem mais acesso e oportunidade de escolher, junto ao cirurgião-dentista, quais práticas (PICS) podem somar em seu tratamento, levando maior possibilidade de cura e manutenção da saúde.

Conceito One Health

O restabelecimento da saúde do sistema estomatognático promove o que chamamos de ONE HEALTH – SAÚDE ÚNICA, ou seja, este paciente passa a ter uma melhor qualidade de vida, transformando o seu humor, concentração, disposição para o trabalho e lazer, e ainda, promove a redução de processos inflamatórios e aumento da imunidade.  

Com todos os fatores inflamatórios corrigidos o paciente retorna ao seu estado emocional consciente para qualidade de vida. Podemos dizer que é um efeito cascata, onde o paciente é beneficiado em todos os sentidos: corpo, mente e espírito.

Além disso, o paciente se sente acolhido e percebe que está sendo cuidado por profissionais capacitados, mas acima de tudo humanos. Isso faz com que se sinta seguro em seguir com novos hábitos de vida.

Em suma, é importante o profissional conhecer seu paciente além dos dentes, e para usar das práticas integrativas e complementares terá que estudar sobre suas propriedades e aplicabilidade.

Vale ressaltar que o sucesso de um tratamento é a somatória de todos os fatores técnicos-científicos aplicados pelo profissional acrescidos do estilo de vida do paciente.

Não há como negar que com as práticas integrativas fazendo parte do dia a dia e do conhecimento do profissional de odontologia, é possível oferecer o melhor aos pacientes, apresentando-lhes as opções indicadas para o seu caso, para que eles possam escolher, dentre as práticas sugeridas, a que mais lhe agradar e lhe trouxer bem-estar.

Gostou do conteúdo? Aproveite para compartilhar com um colega de profissão e comente o que achou desse artigo!

FONTES: 

Capra F, Luisi PL. A visão sistêmica da Vida: uma concepção unificada e suas implicações filosóficas, políticas, sociais e econômicas, 1ª ed., São Paulo: Cultrix, 2014; 616p. ISBN: 978-85316-1291-6. 

Lipton BH. A Biologia da Crença: ciência e espiritualidade na mesma sintonia, 1ª ed., São Paulo: Butterfly Editora, 2007; ISBN: 978-8588477- 67- 4. 

Brasil. Conselho Federal de Odontologia, Resolução nº 160, de 02 de outubro de 2015. Reconhece a Acupuntura, Homeopatia e Odontologia do Esporte como especialidades odontológicas. [Link]. 

ODONTOLOGIA integrativa: quebrando paradigmas e renovando conceitos. Revista Medicina Integrativa, [S. l.], p. 1-1, 14 jan. 2019. Disponível em: https://revistamedicinaintegrativa.com/odontologia-integrativa-quebrando-paradigmas-e-renovando-conceitos/. Acesso em: 14 mar. 2022.  

VEJA como aliar homeopatia à odontologia. FGM Dental Group, [S. l.], p. 1-1, 13 fev. 2014. Disponível em: https://fgmdentalgroup.com/blog/posts/veja-como-aliar-homeopatia-a-odontologia. Acesso em: 11 mar. 2022.  

ALIADAS preciosas dos dentistas, terapias complementares ganham espaço na Odontologia. Dental Press, [S. l.], p. 1-1, 1 jan. 2022. Disponível em: https://www.dentalpress.com.br/portal/aliadas-preciosas-dentistas-terapias-complementares-ganham-espaco-odontologia/. Acesso em: 11 mar. 2022. 

APLICAÇÃO da ozonioterapia na odontologia. Saúde com Ozonio, [S. l.], p. 1-1, 1 jan. 2022. Disponível em: https://www.saudecomozonio.com.br/2018/12/12/aplicacao-da-ozonioterapia-na-odontologia/. Acesso em: 11 mar. 2022.  

ALELUIA, Camila de Melo et al. Fitoterápicos na Odontologia. Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo, [S.l.], v. 27, n. 2, p. 126 – 134, nov. 2017. ISSN 1983-5183. Disponível em: <https://publicacoes.unicid.edu.br/index.php/revistadaodontologia/article/view/263/160>. Acesso em: 14 mar. 2022. doi:https://doi.org/10.26843/ro_unicid.v27i2.263. 

ODONTOLOGIA Antroposófica. I.D.E.I.A, [S. l.], p. 1-1, 1 jan. 2022. Disponível em: http://odontologiaantroposofica.com.br/apresentacao.html. Acesso em: 11 mar. 2022. 

ACUPUNTURA na Odontologia: conheça os benefícios da milenar técnica chinesa. EEP – Escola de Educação Permanente, [S. l.], p. 1-1, 23 nov. 2020. Disponível em: https://eephcfmusp.org.br/portal/online/acupuntura-odontologia/. Acesso em: 11 mar. 2022. 

Cirurgiã-dentista, CRO DF 8024 Especialista em periodontia com habilitação em odontologia hospitalar, habilitação em laser e pós-graduada latu sensu - especialista em práticas integrativas e complementares e capacitação em diagnóstico e tratamento de halitose.
Sheila Campos de Oliveira
Últimos posts por Sheila Campos de Oliveira (exibir todos)

Artigos relacionados

Education Template