O organismo humano funciona como uma orquestra: cada órgão cumpre o papel de um instrumento. E, quando um desafina, o corpo todo pode ser afetado.

Quando a saúde bucal não está em harmonia, as bactérias e os fungos naturais dessa região podem se proliferar e atingir outros órgãos. Por isso que os cuidados com a higiene bucal vão muito além de um belo sorriso e de um hálito fresco.

Muitos não sabem, mas há diversas pesquisas que mostram a ligação de uma má higiene bucal com doenças do coração.

Principais sintomas de Doença Periodontal

As bactérias como as da bolsa periodontal migram por bacteremia, ou seja, entram na corrente sanguínea através da boca e vão para o coração.  Lá, proliferam-se e podem vir a ocasionar diversas doenças cardíacas, desde arritmia até endocardite bacteriana.

De acordo com a American Association of Periodontology (AAP) (Associação Americana de Periodontologia), os principais sintomas de Doença Periodontal são:

  • Gengiva vermelhas, inchadas ou doloridas ao toque;
  • Sangramento gengival ao comer, escovar os dentes e usar fio dental;
  • purulência na gengiva;
  • Retração gengival;
  • Mau hálito frequente ou gosto ruim na boca;
  • Dentes moles.

 

Higiene bucal contribui para a saúde do coração

 

Como se desenvolve?

As complicações surgem quando a placa bacteriana não é removida e, assim, inicia-se a inflamação da gengiva. O Incor realizou uma pesquisa em São Paulo e constatou que 45% das doenças cardíacas tinham origem na cavidade bucal, devido a cáries profundas com comprometimento do canal, gengivas inflamadas, restos de dente e abscessos.

Quando acumulada por um período maior, a placa começa a endurecer pela deposição de sais minerais da saliva e dá origem ao cálculo dental – o tártaro – o qual fica firmemente aderido ao dente.

“A escovação já não é capaz de removê-lo e, se o cirurgião-dentista não atuar, inicia-se uma destruição progressiva e irreversível das estruturas que sustentam os dentes: osso alveolar e ligamento periodontal”, alerta a Dra. Fernanda de Paula Eduardo, cirurgiã-dentista da unidade de Transplante de Medula Óssea do HIAE.

higiene oral

Pacientes com maior risco

Para manter uma boca saudável é necessário que o cirurgião-dentista oriente seus pacientes a escovar bem os dentes no mínimo três vezes ao dia, principalmente após as principais refeições, fazer uso do fio dental e quando indicado, de enxaguatórios bucais.

O maior risco são em pacientes com problemas crônicos como gengivite ou doença periodontal avançada que, devido à higiene bucal precária, são mais suscetíveis a desenvolver doenças cardíacas, por isso é essencial que pacientes nessa situação façam visitas periódicas e tenham um acompanhamento mais minucioso. Isso também vale para pacientes cardiopatas, diabéticos, hipertensos e imunossuprimidos.

Conforme a Associação Brasileira de Odontologia, menos de 22% de adultos e 8% dos idosos têm as gengivas totalmente saudáveis. É bom lembrar sempre os seus pacientes: cuidar dos dentes não é apenas questão de estética, e sim de saúde.

Fonte: Site Conselho Federal Odontologia e Einstein Saúde

Equipe Dental Speed

Artigos Relacionados

Manifestações Bucais da AIDS

Manifestações Bucais da AIDS

Conteúdo Especial
A AIDS é uma doença antiga e que infectou cerca de 39 mil novas pessoas nos últimos 5 anos. O diagnóstico precoce pode ajudar no combate desse doença e você, cirurgião-dentista pode ajudar através do reconhecimento das manifestações bucais. Leia no blog de hoje, quais são as manifestações bucais da AIDS.
Radiografia Odontológica: saiba tudo!

Radiografia Odontológica: saiba tudo!

Conteúdo Especial
Existem diversos problemas que trazem incômodo e desconforto ao paciente, mas que só podem ser visualizados através da radiografia odontológica. Saiba nesse blogpost porque é importante realizar exames de Raio-X no seu paciente e quais são os tipos e indicações de cada um.