Quando posso reparar uma restauração e quando devo fazer uma substituição?

Um artigo de revisão recentemente publicado pela Universidade de Munique definiu as 4 opções de tratamento para restaurações insatisfatórias:

1. Monitoramento das restaurações em caso de pequenos problemas como descoloração ou pequenas imperfeições marginais que não acarretem malefício algum para o paciente se não forem tratados.

2. Remodelação de uma restauração se uma falha puder ser reparada sem a necessidade de adicionar um novo material restaurador. Exemplos são a remoção de excessos, polimento de margens pigmentadas, selamento de pequenos defeitos ou poros.

3. O reparo é indicado se a restauração apresentar falhas que necessite adição de material restaurador. O reparo deve ser realizado sempre que o tipo de falha puder ocasionar maior degradação da estrutura dental adjacente. Exemplos são cáries localizadas nas margens da restauração, fraturas do material restaurador ou da estrutura dental adjacente e fendas marginais.

4. A substituição é indicada se a restauração mostrar problemas generalizados ou complexos que precisem de tratamento. Além disso, caso a falha não possa ser acessada completamente ou se o resultado do reparo não puder ser satisfatório, deve-se realizar a substituição da restauração. Exemplos para as substituições necessárias são cáries muito extensas ou estrutura dental insuficiente. 1

Hickel R, Brüshaver K, Ilie N: Review. Repair of restorations – Criteria for decision making and clinical recommendations. 18 Dent Mat 29, 2013:28-50.

Quais superfícies podem ser aderidas com o GLUMA Bond Universal?

O GLUMA Bond Universal pode unir as seguintes superfícies: zircônia, ligas nobres e não nobres, bem como resinas/compômeros. Aplique o GLUMA Ceramic Primer à superfície da cerâmica antes do GLUMA Bond Universal para unir e reparar as cerâmicas à base de silicato.

Qual pré-tratamento é necessário no material e/ou dente ao se reparar uma restauração?

Asperize com ponta diamantada ou jatear a superfície do substrato a ser reparada. Enxague completamente e seque com jato de ar, livre de óleo. No caso das cerâmicas à base de silicato e vitrocerâmica, a superfície de restauração precisa ser pré-tratada com o GLUMA Ceramic Primer.

Em seguida, aplique o GLUMA Bond Universal em um movimento de fricção suave por 20 segundos, seque com jato de ar e fotopolimerize por 10 segundos antes da aplicação da resina composta.

Qual é o benefício de usar o sistema do GLUMA Bond Universal para reparos intra-orais das cerâmicas à base de silicato (vitrocerâmica)?

Nas cimentações das restaurações indiretas de cerâmica à base de silicato, sua superfície deve ser condicionada com o ácido fluorídrico, seguido da aplicação de um silano como o GLUMA Ceramic Primer.

O uso do ácido fluorídrico para condicionamento das cerâmicas é seguro fora da boca. No entanto, seu uso intra-oral pode ocasionar risco de necrose grave do tecido mucoso ou até mesmo no tecido ósseo. Ao utilizar o ácido fluorídrico durante um reparo intra-oral na cerâmica à base de silicato, o isolamento absoluto com dique de borracha deve ser obrigatório e o ácido precisa ser aplicado com atenção redobrada.

Graças ao sistema GLUMA Bond Universal, este risco pode ser evitado. Neste caso, o uso perigoso do ácido fluorídrico não é necessário para reparos intra-orais das cerâmicas à base de silicato. O uso do GLUMA Ceramic Primer seguido da aplicação de GLUMA Bond Universal na superfície de cerâmica é suficiente.

Para qual material o GLUMA Bond Universal precisa de um pré-tratamento (silano)?

O GLUMA Bond Universal precisa de GLUMA Ceramic Primer somente nas cerâmicas à base de silicato/vitrocerâmica.

Asperize com ponta diamantada ou jatear a superfície do substrato a ser reparada. Enxague completamente e seque com jato de ar, livre de óleo. No caso das cerâmicas à base de silicato e vitrocerâmica, a superfície de restauração precisa ser pré-tratada com o GLUMA Ceramic Primer.

Em seguida, aplique o GLUMA Bond Universal em um movimento de fricção suave por 20 segundos, seque com jato de ar e fotopolimerize por 10 segundos antes da aplicação da resina composta.

Qual é o pré-tratamento (silano) para a cerâmica à base de silicato/vitrocerâmica necessário?

Para a união das cerâmicas à base de silicato a superfície da cerâmica precisa ser sempre pré-condicionada com um silano adicional. Portanto, o GLUMA Ceramic Primer deve ser aplicado na superfície de cerâmica a ser reparada antes da aplicação do GLUMA Bond Universal. Um estudo independente da Universidade de Erlangen mostrou que as superfícies de cerâmica à base de silicato devem ser sempre silanizadas a fim de se obter uma união mais efetiva quando adesivos universais são utilizados. 2

2 Zorzin J, Wendler M, Belli R, Petschelt A , Lohbauer U: Tensile bond strength of universal adhesives to lithium disilicate ceramic. Poster 62 at the European Dental Materials Meeting, 2015.

O que acontece se o GLUMA Ceramic Primer acidentalmente entrar em contato com a superfície do dente?

Não aplique o GLUMA Ceramic Primer no esmalte ou dentina uma vez que ele reduz a resistência adesiva ao dente. Use uma escova fina (por exemplo, nossa ponta aplicadora verde) para aplicá-lo na restauração em cavidades estreitas. Se acidentalmente a superfície do dente for contaminada pelo GLUMA Ceramic Primer, enxague-o com jato de ar/ água antes de iniciar o procedimento adesivo, conforme descrito nas instruções para uso.

Posso comprar o Ceramic Primer separadamente?

Sim, o GLUMA Ceramic Primer (4 ml) está disponível como reposição.

Em quais situações de reparo posso utilizar o ácido fosfórico antes do GLUMA Bond Universal?

Alguns cirurgiões dentistas limpam as superfícies de restauração usando o condicionador de ácido fosfórico antes de um reparo. Isso também pode ser feito se a superfície fraturada for uma cerâmica ou à base de silicato/vitrocerâmica. Se a superfície a ser reparada for de metal ou zircônia, ela jamais deve ser tocada pelo ácido fosfórico. A união às superfícies de metal e zircônia é feita por meio de grupos fosfóricos do monômero MDP, que também é um componente presente no GLUMA Bond Universal. Se a superfície de metal ou zircônia já tiver entrado em contato anteriormente com o ácido fosfórico, a superfície de metal ou zircônia será coberta com fosfato. Isso impossibilita que grupos fosfóricos do monômero MDP entrem em contato com a superfície de metal e zircônia.

FONTE: www.kulzer.com.br/

Produtos mostrados:
Perguntas frequentes sobre reparos intraorais com GLUMA Bond Universal

Adesivo Gluma Bond Universal - 4ml

Kulzer
Perguntas frequentes sobre reparos intraorais com GLUMA Bond Universal

Gluma Ceramic Primer - 4ml

Kulzer

Artigos Relacionados

Dicas para uma moldagem de qualidade

Dicas para uma moldagem de qualidade

Dentista de Sucesso
A precisão na moldagem é um dos pré-requisitos mais importantes para restaurações perfeitamente adaptadas e duradouras. A moldagem deve reproduzir todos os detalhes com a maior precisão possível. Confira no artigo a seguir algumas dicas para você arrasar na hora da moldagem: