Por Fabrício Figueiredo Mendes*

A famosa expressão 'vamos livrar o mundo das cáries' é bastante comercial, inclusive já foi usada por um grande fabricante de produtos de higiene bucal, mas seria ela uma possibilidade real ou mera utopia? A meu ver, fico com a segunda opção e explico o motivo.

Primeiramente gostaria de deixar claro que a cárie dentária é uma doença. Apesar de não atacar somente as pessoas que não escovam os dentes direito, como popularmente se pensa, é nesses indivíduos que ela encontra o ambiente ideal para se desenvolver.

As cavidades da cárie são formadas principalmente pela ação dos ácidos eliminados por bactérias presentes na nossa saliva (principalmente o Streptococos Mutans) com o intuito de fazer a fermentação de restos alimentares presentes na boca. O ácido não possui capacidade de discernimento e uma vez eliminado corrói os restos alimentares e o que mais estiver pela frente, ou seja, o esmalte do seu dente.

Segundo, porque não vejo hoje, nem num futuro próximo, uma população educada o bastante para cuidar bem de sua saúde bucal, com uma higienização realmente eficaz. É um processo longo, do qual não sei se seremos expectadores.

E terceiro, e não menos importante, devemos lembrar que infelizmente não é 'intere$$ante' para muitas multinacionais erradicar essa doença cárie, afinal de contas ela, a doença, movimenta milhões em produtos que visam evitá-la.

Portanto caro leitor, desculpem meu pessimismo, mas acho que ainda vai demorar bastante para a cárie deixar de ser um problema. Não acham?

*Fabríco Fiqueiredo Mendes é dentista, fundador do blog Vida de Dentista e da CEPTO Odontologia.

 

Artigos Relacionados

Harmonização Orofacial na Odontologia

Harmonização Orofacial na Odontologia

Conteúdo Especial
O conceito de Harmonização Orofacial diz respeito ao conjunto de procedimentos responsáveis pelo equilíbrio estético e funcional da face. Nossa formação acadêmica nos dá uma percepção ampliada das medidas faciais e dentais, as “proporções áureas”, que tornam a face e o sorriso “bonitos”.