Autora: Patti Jardim

Juntos, o acabamento e o polimento constituem uma das etapas mais nobres das restaurações de resina composta. Esse procedimento é responsável por conferir a riqueza de detalhes superficiais para mimetização da restauração com os dentes naturais. Mas além disso, e talvez mais importante, o acabamento e o polimento, quando bem realizados, conferem longevidade as restaurações de resina composta, já que reduz significativamente o manchamento superficial e marginal.

A maioria dos profissionais se preocupa com o acabamento e polimento das superfície vestibular, por ser uma área visível, estética. Infelizmente, pouca importância é dada para as superfícies proximais. Entretanto, é exatamente nessas áreas que inicia a pigmentação. A retenção do biofilme sobre uma superfície rugosa é um prato cheio para o manchamento, e consequentemente, para o insucesso estético das restaurações.

Por esse motivo, é fundamental que materiais específicos sejam usados para a finalização proximal das restaurações de resina composta. A GC apresenta dois tipos de tiras de lixa interproximais que promovem um diferenciado acabamento e polimento desta área: GC New Metal Strips e Epitex.

A GC New Metal Strips são tiras de metal galvanizadas com partículas de óxido de alumínio para acabamento e polimento de todos os tipos de restaurações. Apresentam quatro diferentes granulações: 140µm – 90µm – 17µm e 50µm; e três espessuras: 2,6mm – 3,3mm e 4,0mm. Devem ser usadas em toda sequencia, da maior para a de menor granulação, de tal forma que confira o acabamento e o polimento superficial. São bastante flexíveis, e as tiras de menor espessura não desgastam o ponto de contato proximal.

A Epitex são tiras de lixa para acabamento e polimento indicadas apenas para restaurações de resina composta e ionômero de vidro. São as minhas preferidas! Uso sempre, seguindo a sequencia de maior para menor granulação, que neste caso é composta por quatro tiras. Cada tira é disposta em um dispensador super prático que pode ser adquirido em conjunto – Starter Kit, que ainda inclui um rolo de matriz de poliéster, ou individualmente.

A técnica do uso das tiras não muda: devem sempre ser levadas abaixo do ponto de contato proximal, posicionadas em forma de S, de tal forma que o desgaste promova forma e lisura superficial das vertentes das cristas marginais, conforme as ilustrações abaixo.

Lembre-se: a longevidade das restaurações está diretamente relacionado com a forma com que as realizamos, portanto, cuide da superfície proximal tão bem quando das faces vestibular e palatino. Isso é mais do que uma dica, é nossa obrigação!