A moldagem é um procedimento muito comum nos consultórios e a confecção do modelo ortodôntico é um dos elementos fundamentais para um bom diagnóstico e correto plano de tratamento. Apesar de parecer simples, existem detalhes que fazem toda a diferença. Se você encontra alguma dificuldade, principalmente na moldagem de crianças, este post poderá te ajudar.

O importante na moldagem é a reprodução exata da anatomia das arcadas, do osso basal, das coroas dos dentes e estruturas vizinhas. Devido à importância deste procedimento para o ortodontista, discorreremos deste tema trazendo dicas clínicas e sugestões de materiais, para um procedimento de sucesso.

Sou habituada a moldar crianças pequeninas pela atuação na área ortodôntica de pacientes com fissura labiopalatina. Então essas dicas darei baseadas em minha experiência clínica, com aplicação para adultos e crianças.

E vamos ao que interessa, que dicas são essas para tornar este procedimento mais tranquilo?

Jejum: Antes da moldagem orientar os pais/ adulto a vir ao consultório em jejum (1 hora antes do procedimento)

Simulação prévia do procedimento: Antes da manipulação e do ato em si, recomendo simular com paciência, explicando para os pacientes os seguintes passos a se realizar. Nesta fase, observo a reação do paciente (fechamento de boca, rigidez muscular, dificuldade de respiração) e então em sua dificuldade eu oriento e corrijo, se preciso faço mais de uma vez essa simulação, até o paciente sentir tranquilidade e não demonstrar nenhum comportamento de defesa e agonia.

Respiração Nasal, Posicionamento 90 graus e Orientação da salivação: É comum os pacientes tenderem a fechar a boca e tentar engolir a saliva então daí vem os enjôos, eles se sentem asfixiados. Para evitarmos essa sensação eu peço para o paciente inclinar a cabeça para baixo respirar todo o tempo pelo nariz, se causar muita salivação, não tentar engolir, o babador estará abaixo para isso e então colocar em prática todos os passos antes simulados.

Prova das moldeiras:  Primeiro eu provo a inferior, insiro a moldeira (ela deve entrar com certa folga, alcançar a região posterior e a altura do fundo de saco) Gosto muito das moldeiras da Morelli que já são altas, porém se você não tem adaptação com elas individualize a moldeira com cera 7. Após a inserção da moldeira eu peço para ele levantar a ponta da língua e levar para frente, evitando qualquer interferência lingual. Após a moldagem inferior, vamos à superior, uso da psicologia e digo que agora é mais fácil por não ter a língua. Aplico os mesmos procedimentos e inclino a cabeça do paciente para frente, caso ele demonstre desconforto eu oriento a concentrar-se e manter a respiração nasal e respirar mais rápido e mantenho a moldeira firme em posição, acalmando ele e orientando que o procedimento é rápido, quando criança fazemos a contagem regressiva juntos.

Muito raro eu ter dificuldades na moldagem, alguns pacientes se desesperam pelo desconhecido, independente da idade, o condicionamento prévio a este procedimento tão popular por causar enjôos fará toda a diferença e trará um molde bem realizado, sem a necessidade de repetições desgastantes.

Caso esta, seja uma moldagem de transferência, removo as bandas dos dentes e posiciono no molde. Gosto de colocar uma bolinha de algodão umedecida na região palatina (onde receberá a solda) e fixo as bandas nos moldes por aplicação de superbonder ao redor das mesmas e espero alguns instantes para secar.

E então damos o procedimento da desinfecção e vazamento do molde.

Para a moldagem ortodôntica utilizamos alginato. Minhas marcas prediletas: Hidrogum, Ortoprint e Cavex.  Gosto de respeitar a medida do fabricante e fazer uma boa espatulação. Assim o material ficará com um escoamento recomendado para que contribua para a fidelidade da impressão e para a densidade correta da inserção, contribuindo para evitar enjôos e geleificar no tempo correto. Atenção para a temperatura ambiente, quando está muito calor recomendo utilizar água gelada para não catalisar o procedimento.

Após a moldagem faço o registro da oclusão que dependerá se será registrada a oclusão funcional, em rc e/ou em mih, o diagnóstico prévio responderá essas questões.

Exigências para um bom molde são: Copiar todo o fundo de saco e região posterior, dentes e acessórios ortodônticos, habituar-se a moldar superior e inferior e fazer o registro da oclusão, independente do tipo de aparelho ou aplicação para o moldelo e depois fazemos a desinfecção dos moldes e seguimos para o vazamento do gesso, normalmente utilizamos gesso pedra.

Até a próxima


Dra. Thalita Varela Galassi
Especialista em Ortodontia
Pós graduada em dentística estética
Mestranda em Ciências da Reabilitação
Professora de Ortodontia
Odontoblogger – @drathalitagalassi 

Dra Thalita Varela Galassi

Artigos Relacionados

Mini-Implantes no palato. O que você precisa saber?

Mini-Implantes no palato. O que você precisa saber?

Conteúdo Especial
A região do palato é um dos locais mais favoráveis para a instalação de mini-implantes. Fatores como fácil acessibilidade, cobertura total de gengiva queratinizada e boa qualidade óssea em sítios específicos contribuem para a redução do risco de inflamação e aumento da estabilidade primária
Aparelho e Saúde Bucal

Aparelho e Saúde Bucal

Especialidades
São necessários cuidados especiais com a saúde bucal dos pacientes que utilizam aparelho. Aparelhos dentais são todos os dispositivos utilizados, de forma fixa ou temporária, nos dentes. Auxiliam a correção dental, substituem dentes ausentes e contribuem para a melhora da estética e função, harmonizando o sorriso. Por serem estruturas em íntimo contato com os dentes dificultam a correta higienização e contribuem para o acúmulo de placa bacteriana. Por este motivo, os cuidados com a saúde bucal devem ser redobrados.