Algumas dicas de fotografia em Odontologia

Dentista de Sucesso

Nessa nossa era digital não tem como deixar a fotografia de fora da nossa prática odontológica. A facilidade de armazenamento e o advento de podermos tirar quantas fotos forem necessárias são as grandes vantagens das máquinas digitais. As fotografias podem ser usadas para fins diagnósticos, documentação de casos ou para poder explicar os problemas bucais e os tratamentos propostos com mais facilidade aos pacientes. Muitos dentistas já estão usando prontuários digitais. Eles permitem uma boa organização das fotos, radiografias, fichas clínicas, anamnese, receituários, exames complementares, entre outros. A fotografia é uma ferramenta chave hoje em dia, inclusive para a própria proteção do cirurgião dentista. 

Planejamento fotográfico. Converso com muitos colegas especialistas em dentística e prótese que afirmam: não é mais possível trabalhar e planejar reabilitações estéticas sem fotos. Uma fotografia bem tirada revela inúmeros detalhes para o olho treinado do cirurgião dentista. A possibilidade de planejar com calma mesmo após o paciente já ter ido embora, os detalhes que podem ser analisados com o “zoom”, a previsibilidade e a possibilidade de mostrar como os dentes do paciente vão ficar como um projeto são grandes diferenciais.  

A dúvida que certamente vai surgir: "E aí, vou ter que investir uma grana em uma câmera fotográfica profissional, flash circular, tripé, lentes macro, câmera intra-oral?". Sinceramente, cada um sabe o quanto pode gastar com esses equipamentos e cada um tem seu interesse mais aprofundado ou não no ramo da fotografia. Você pode usar seu próprio smartphone que hoje já vem com câmeras de ótima qualidade, equipamentos semi-profissionais ou ainda equipamentos profissionais “top” de linha.  

O mais importante de tudo é ter um protocolo que você mesmo pode criar para tentar deixar as imagens de seus pacientes mais organizadas. Não adianta ter um estúdio fotográfico no consultório e não estabelecer um protocolo. Por exemplo, você pode seguir o que se utiliza nas documentações ortodônticas como padrão: duas fotos extra bucais com o paciente em oclusão, sendo uma de frente e uma de perfil, e três fotos intrabucais sendo uma de frente e duas de cada lado. É possível adicionar uma foto do sorriso, sorriso mais forçado, foto oclusal com espelho e ainda fotos tiradas com a câmera intra-oral. Se policie para tentar tirar as fotos de todos pacientes na mesma angulação e na mesma distância, padronizando sua documentação.  

Vale a pena investir em materiais como afastadores para fotografia, de preferência os que possam ser autoclavados e espelhos intra-bucais. Eles facilitam muito na hora da documentação fotográfica. Se você tiver uma boa luz na sua sala clínica, você pode tirar fotos sem flash mesmo. A luz natural ainda é a melhor de todas para tirar fotos quando você quer mandar para o seu laboratório de prótese para confirmar a cor solicitada ao técnico. Outra sugestão é que não se use a luz do refletor virada para os dentes ao tirar fotos. Separe as fotos em pastas ou nos programas de gerenciamento online e sempre mantenha um backup em pendrive ou HD externo.

Eu conheço alguns dentistas que conseguiram montar verdadeiros estúdios fotográficos em uma sala de seus consultórios. Isso acaba sendo um ótimo diferencial e os pacientes se empolgam com a possibilidade de fazer um ensaio fotográfico que mostre a mudança no seu sorriso. Alguns podem pensar que isso é apenas uma “perfumaria”, mas perceba que os pacientes enxergam valor nesse tipo de cuidado e investimento, fazendo com que você possa cobrar um pouco mais pelos seus tratamentos.  

Outro bom uso para as fotografias é na hora de realizar um clareamento dentário. Em alguns casos, o paciente esquece o quão amarelado seus dentes estavam no início e acha que o tratamento de clareamento foi pouco eficaz. Com as fotos você consegue ótimos resultados para poder mostrar lado a lado o início e o fim do tratamento. Tire uma foto inicial, antes mesmo da raspagem periodontal. Depois tire uma foto no dia do clareamento antes de começar o tratamento junto com um dente de escala Vita que combine com os dentes do seu paciente. Termine tirando a foto final e compare. Esse tipo de previsibilidade faz uma boa diferença com o paciente que depois pode te indicar apenas por você ter mostrado para ele que você se preocupou com as fotos e mostrou a eficácia do tratamento. Isso vai evitar reclamações e vai orientar se você precisa aumentar o tempo de uso das substâncias clareadoras.

Além de servir para seu marketing com o paciente, a fotografia digital é uma documentação válida e deve ser sempre guardada e preservada. Cuidado ao expor essas fotos publicamente, evite postá-las em redes sociais sem critério. Use-as sabiamente para facilitar sua vida e evitar dores de cabeça.  

Cirurgião dentista, formado pela Universidade Paulista, UNIP, em 2011, Especialização na área de Periodontia e em Implantodontia, assumiu em 2016 a Coodernação da comissão de Mídias Sociais e Odontologia do CROSP, é palestrante na área de Mídias Sociais e Saúde Bucal. 

Artigos Relacionados

Dicas para uma moldagem de qualidade

Dicas para uma moldagem de qualidade

Dentista de Sucesso
A precisão na moldagem é um dos pré-requisitos mais importantes para restaurações perfeitamente adaptadas e duradouras. A moldagem deve reproduzir todos os detalhes com a maior precisão possível. Confira no artigo a seguir algumas dicas para você arrasar na hora da moldagem: