Esgotamento profissional

Conteúdo Especial

Crise é a palavra do momento e ela traz a necessidade de adaptações para que essa turbulência passe sem fazer grandes estragos (se é que isso é possível). Essa necessidade de readaptação à realidade trazida com a instabilidade econômica tem resultados diretos na nossa saúde.

Estamos cansados, estressados, irritados e descrentes. Trabalhamos muito e sob pressão e a discrepância entre expectativa e realidade nos causa ansiedade e quadros depressivos e de pânico social.

O que isso tem a ver com a Odontologia?

Tudo… Estamos diante da Síndrome do Esgotamento Profissional ou, simplesmente, Síndrome de Bournout.

Foi assim comigo: a dificuldade constante de dormir e as manifestações de ansiedade (suor, taquicardia, dor no estômago, etc.) me levaram ao Psiquiatra. Eu precisava de ajuda. Em tratamento desde novembro passado, ainda vivo com o cansaço ao acordar (mesmo dormindo horas seguidas, sem interrupção com ajuda de medicamentos) e com o medo das atividades que desenvolverei no dia. Alguns dias são, literalmente, arrastados e eu tento trabalhar meus pensamentos para que eu possa ficar no consultório. Por que eu falo “ficar no consultório”? Porque eu já chego com vontade de ir embora. Porque eu, diversas vezes, pedi para minha secretária desmarcar uma agenda em virtude desse pânico. A vontade é de sair correndo e muitas vezes foi o que eu fiz. Minha compulsão alimentar aumentou e eu ganhei peso.  A utilização de antidepressivos também contribuiu para esse quadro de reganho e assim eu vou, num círculo de ônus e bônus…

Mas será que há somente esse tipo de terapia para tratamento do esgotamento?

Muitos profissionais me esclareceram e ofereceram ajuda. Todos são enfáticos na necessidade de desacelerar o ritmo.

Decidi experimentar outras terapias, associadas às medicações e ao desmame das mesmas.

Na prática de Yoga estou aprendendo a respirar e é impressionante como nós não fazemos isso direito. Eu me permiti, também, diminuir minha rotina no consultório, deixando de trabalhar alguns períodos durante a semana e, para me dedicar ao cuidado da minha casa, companhia dos meus bichos e momentos de relaxamento. Acupuntura também tem dado um resultado maravilhoso no controle da ansiedade.

Outra orientação que recebi: diminuir o tempo nas redes sociais! As horas gastas no Facebook, Instagram, blogs resultam em pensamentos acelerados o que aumenta a angústia e a depressão. Esse tempo em frente ao computador e celular deve ser gasto de maneira a descansar a mente, através de leituras, de meditação, da música… Aproveitar com a família e amigos, reais, esses preciosos momentos.

Precisamos cuidar de nós, sempre. Se não tirarmos um tempo para nós, tiraremos na marra lá na frente, para cuidarmos da doença.