Como Dentista você sabe o que fazer diante de emergências? Você se sente preparado, por exemplo, para liderar sua equipe diante de uma parada cardiorrespiratória dentro do consultório odontológico? 

Infelizmente para grande parte dos Cirurgiões-dentistas a resposta é NÃO!  

Sobretudo, pouquíssimos profissionais estão preparados para realizar uma ressuscitação cardiopulmonar (RCP) eficiente sabendo: frequência, profundidade e importância do retorno do tórax durante as compressões; ventilar o paciente com dispositivos como a pocket mask ou AMBÚ; usar o Desfibrilador Externo Automático.

E tudo isso é essencial para aumentar a sobrevida do paciente.  

Dentista em emergência

A ação do Dentista em emergências

Logo, trata-se de uma situação paradoxal, afinal o Cirurgião-dentista atende cada vez mais pacientes idosos, com inúmeras comorbidades, em situações de estresse e, por isso, ainda mais sujeitos a emergências, mas não se prepara para lidar com elas. 

Do mesmo modo, Dentistas são cobrados legalmente nas esferas civil, criminal e ética (junto ao conselho) em casos de prestação de socorro incompatível com nossa área de atuação. Lembrando que somos profissionais da área da SAÚDE.

Ou seja, não podemos nos fechar nos conhecimentos técnicos dos procedimentos que realizamos. 

Logo, o treinamento/capacitação em Suporte Básico de Vida (SBV) deve ser encarado como uma peça fundamental na formação do Cirurgião-Dentista e só se interessa por essa área quem realmente se importa com a VIDA dos seus pacientes.

Além disso, nosso código de ética odontológicono capítulo III, artigo 5º, inciso V nos diz que devemos “Zelar pela saúde e pela dignidade dos pacientes”. 

Catálogos virtuais Dental Speed

Como se capacitar? 

Existem alguns cursos voltados para Emergências Médicas em Odontologia que abordam todo o tema de SBV, RCP. Protocolos de atendimento para situações de emergências comoreações anafiláticas, obstrução de vias aéreas por corpo estranho, paradas cardiorrespiratórias, crise aguda de asma, hemorragias, convulsões, acidente vascular encefálico, dentre outras. 

No entanto, ao escolher o curso é primordial que o aluno verifique se: 

  • Os professores têm cursos na área;
  • Possuem os equipamentos necessários para treinamento prático (como manequins realistas, pocket masks, Ambú, DEA, etc);
  • O local do curso fornece as condições necessárias para treinamento;
  • Os professores seguem os protocolos de SBV mais atuais de instituições reconhecidas como a AHA (american heart association) e ERC (european resuscitation council).
  • O curso fornece uma lista com os equipamentos e medicamentos necessáriopara as principais emergências no consultório odontológico;

Em síntese, a capacitação para enfrentamento adequado de Emergências Médicas é fundamental e deve ser tratada com a seriedade e importância que o tema exige.

 

Erick Queiroz

 

*Matéria feita em parceria com os Cirurgiões-Dentistas:
Dr. Haroldo Abuana Osorio Junior – Mestre em Odontologia pela UFRN
Dr. Victor Diniz Borborema dos Santos – Mestre e Doutor em Odontologia pela UFRN.
REFERÊNCIAS 
Malamed SF. Emergências médicas em Odontologia.7º Edição. Ed Elsevier.2016. 
Andrade ED, Ranali J, Neisser MP. Emergências Médicas em Odontologia. 3. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2011. 
Marzola C, Griza GL. Profissionais e acadêmicos de odontologia estão aptos para salvar vidas? JAO. 2001; 27:19-27. 
Merly F. O cirurgião-dentista e as emergências médicas no consultório: Será que estamos preparados para enfrentar este problema? Rev. bras. odontol. 2010; 67(1): 6-7. 
Hanna LMO, Alcântara HSC, Damasceno JM, Santos MTBR. Conhecimento dos Cirurgiões Dentistas diante Urgência/ Emergência Médica. Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac. 2014; 14(2):79-86. 

 

 

Artigos Relacionados